Entenda como funciona a ‘xepa da vacina’ e como se candidatar

Municípios têm autonomia para escolher como oferecer vacinas remanescentes. Saiba se você pode concorrer

Camila Neumam, da CNN, em São Paulo
29 de maio de 2021 às 04:30 | Atualizado 30 de maio de 2021 às 17:55

As doses remanescentes das vacinas contra a Covid-19, a chamada ‘xepa da vacinação’, devem ser aplicadas conforme o prazo de validade e somente em pessoas dos grupos prioritários previstos no Plano de Operacionalização da Vacinação (PNO) do Ministério da Saúde.

Na urgência do vencimento e ausência de pessoas com essas características, as doses podem ser aplicadas nos mais jovens, com ou sem comorbidades. Quem conseguir a primeira dose na xepa receberá normalmente o cartão de vacinação com a data prevista para a segunda dose.

Os municípios têm autonomia para distribuir as vacinas que sobram da forma que for mais conveniente para a sua localidade. Podem convocar pessoas por chamada telefônica ou aplicar em quem estiver de prontidão nos postos, explica Mauro Junqueira, secretário executivo do Conasems (Conselho Nacional dos Secretários Municipais de Saúde), órgão responsável por articular entre gestores de saúde a distribuição das vacinas nos municípios.

“Cada município é autônomo para fazer a melhor programação, divulgação e aplicação das doses desde que sigam o PNO, que esclarece quais são os grupos prioritários e avisa a validade de cada vacina depois de aberta”, afirma Junqueira.

Profissional de saúde prepara dose da vacina contra Covid-19 em Suzano, São Paulo
Foto: Divulgação/Governo do Estado de São Paulo

 

Segundo o secretário executivo do Conasems, os responsáveis pela distribuição e aplicação das vacinas nos postos do país devem levar em conta a quantidade de doses por embalagem, seus prazos de validade e o número de pessoas na fila, para somente abrir frascos de acordo com a necessidade. Havendo constatação de sobras, um profissional de saúde deve ser convocado imediatamente a encontrar um candidato para tomar.

A Coronavac e a vacina da Pfizer precisam ser usadas em até seis horas após a abertura do frasco, segundo a bula dos imunizantes. Já a vacina da AstraZeneca/Oxford pode ser utilizada em até 48 horas depois de aberta, desde que mantida na temperatura de dois a oito graus celsius, segundo o fabricante. Essas informações devem ser levadas em conta na hora da xepa, explica Junqueira. “Se sobrar doses da vacina da AstraZeneca, é possível fazer a busca ativa. E se ninguém aparecer, oferecer no dia seguinte, mantendo as condições de temperatura adequadas”, afirmou.

O secretário reitera que o país vive uma situação de escassez de vacinas contra a Covid-19, não de sobras, e que, por isso, o Conasems não orienta que os gestores municipais estimulem a busca pelas doses fora do calendário de vacinação do Ministério da Saúde. “Não podemos criar a sensação que no fim do dia vai sobrar vacina, isso é exceção. A regra é que no fim do dia faltam vacinas e sobram pessoas para serem vacinadas”.

Na cidade de São Paulo, os postos de vacinação convocam candidatos que deixam nome e telefone em listas de espera; no Rio de Janeiro, apenas pessoas acamadas ou dos grupos prioritários elegíveis podem receber doses excedentes; em Belo Horizonte, Minas Gerais, quando há sobras, profissionais de saúde priorizam pessoas acamadas dentro do grupo alvo do dia; e em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, toma a vacina quem estiver no posto no fim do expediente. Saiba mais: 

1- Como funciona a xepa em São Paulo

Quem pode se candidatar: estão elegíveis profissionais de saúde, pessoas com comorbidades acima dos 18 anos e pessoas com deficiência física que não estejam cadastradas no Benefício de Prestação Continuada (BPC). Para comprovar a comorbidade, é necessário apresentar um atestado, exame ou relatório médico contendo o CRM do médico no momento do cadastro na lista de espera.

Como se candidatar: é preciso se inscrever na lista de espera da Unidade Básica de Saúde mais próxima de onde mora, deixando nome e telefone, mediante a apresentação de um comprovante de endereço. 

Horário de vacinação: das 7h às 19h.

Para mais detalhes sobre a vacinação contra Covid-19 na capital paulista, a prefeitura criou o site Vacina Sampa

2- Como funciona a xepa no Rio de Janeiro

Quem pode se candidatar: pessoas acamadas que fazem parte do público-alvo de vacinados do dia ou integrantes de outros grupos prioritários que estejam na unidade de saúde. Estão elegíveis para se vacinar na cidade pessoas com comorbidades; com deficiência permanente, com síndrome de Down; gestantes e puérperas com comorbidades; trabalhadores da saúde e guardas municipais envolvidos nas ações de combate à Covid-19; todos dos 18 aos 59 anos.

Como se candidatar: pessoas acamadas atendidas pela unidade dentro da estratégia de Saúde da família serão contatadas pelos profissionais da própria unidade que os acompanham. Familiares de pessoas acamadas ainda não atendidas no programa, portanto sem cadastro, podem ir à unidade de saúde deixar nome do parente para que ele seja contatado quando chegar a sua vez na vacinação. Pessoas de outros grupos prioritários que estiverem na fila no fim do expediente poderão ser candidatas a uma dose. Estes candidatos devem receber doses remanescentes das vacinas da AstraZeneca e da Pfizer. 

Horário de vacinação: das 8h às 17h. O site da prefeitura do Rio tem mais informações sobre o calendário de vacinação da cidade.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro, os esforços para evitar desperdício impedem que haja sobras de vacinas na cidade.  “Por esse motivo, não recomendamos que pessoas de fora dos grupos prioritários se aglomerem na porta das unidades em busca da chamada "xepa", disse o órgão à CNN por e-mail.

3- Como funciona a xepa em Belo Horizonte

Quem pode se candidatar: pessoas acamadas que fazem parte do público-alvo de vacinados do dia recebem prioridade para tomar a dose remanescente. Também são selecionadas pessoas da próxima faixa etária elegível para tomar a vacina.  

Como se candidatar: toda vez que a prefeitura da cidade inicia a vacinação de um novo grupo, é disponibilizado um cadastro para as pessoas acamadas pertencentes a esse público se cadastrarem. Para fazer o cadastro, basta acessar o calendário de vacinação no site da prefeitura de Belo Horizonte onde haverá um link para cadastro. Ou clicar diretamente aqui. À medida que percebem que haverá a sobra de doses, os profissionais dos postos ligam para pessoas cadastradas e avisam que irão em suas residências aplicar a vacina. 

Horário de vacinação: 7h30 às 16h30 (postos fixos e extras); 8h às 16h30 (drive-thru).

“Para obter o máximo rendimento das vacinas e evitar a perda das doses, em alguns locais, é preciso remanejá-las entre pontos de vacinação ou fazer uma busca ativa de pessoas que se enquadram nos critérios estabelecidos para a vacinação. O contato é feito exclusivamente pelas equipes de saúde da Prefeitura”, afirmou a Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte, por e-mail.

4- Como funciona a xepa em Porto Alegre

Quem pode se candidatar: estão sendo priorizadas gestantes e puérperas com comorbidade e sem comorbidade (mas com indicação médica); pessoas com comorbidades com 18 anos ou mais e pessoas com deficiência permanente com 59 anos ou mais.

Como se candidatar: os pontos de vacinação de Porto Alegre não contam com lista de espera. Os profissionais de saúde são orientados a oferecer as doses remanescentes somente para quem já estiver na fila e que seja dos grupos prioritários. Na ausência deste público, outras pessoas poderão ser vacinadas se houver sobras ao fim do expediente. 

Horário de vacinação: das 8h às 17h.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde de Porto Alegre, os profissionais de saúde da cidade são orientados a abrir os frascos do imunizante de acordo com a demanda do dia, justamente para evitar desperdício. Por isso, segundo o órgão, não é indicado que as pessoas se aglomerem nos postos por uma oportunidade de se vacinar.

Vacinação no Brasil

No país, atualmente estão sendo aplicadas a Coronavac (Sinovac/Instituto Butantan), a vacina da AstraZeneca/Oxford e a vacina da Pfizer. Segundo o Programa Nacional de Imunizações (PNI), que computa dados da vacinação no país, mais de 59 milhões de doses foram aplicadas no Brasil (dados de 26 de maio) desde o dia 17 de janeiro nos grupos prioritários. Fazem parte desse grupo 78 milhões de pessoas.