ANS arquivou pelo menos 50 denúncias por tratamento precoce

CNN teve acesso à relação de queixas feitas por consumidores contra planos de saúde por prescrição de medicamentos

Hidroxicloroquina
Hidroxicloroquina Foto: George Frey/Reuters

Marcelle Souzacolaboração para a CNNGustavo Uribe

Ouvir notícia

A CNN teve acesso à relação de queixas feitas por consumidores contra planos de saúde por prescrição de medicamentos como hidroxicloroquina, a ivermectina e a azitromicina.

A ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) arquivou desde março do ano passado pelo menos 50 reclamações de consumidores de planos de saúde sobre prescrições por profissionais de saúde de medicamentos do chamado “Kit-Covid”.

A lista foi obtida pela CNN  por meio da Lei de Acesso à Informação. A ANS não informou o teor das reclamações, argumentando que são processos sigilosos.

As denúncias foram feitas tanto por telefone como pela internet e envolvem diferentes planos de saúde, entre eles a Prevent Senior, que está no alvo da CPI da Pandemia.

As denúncias foram provenientes de estados como São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Goiás, Paraná, Bahia, Ceará, Sergipe, Pará e Amazonas. Elas envolvem a prescrição de medicamentos como a hidroxicloroquina, a ivermectina e a azitromicina, todos sem eficácia contra o coronavírus.

Nas justificativas para o arquivamento ou finalização do processo, a agência reguladora aponta, entre outros motivos, a inexistência de indício de infração ou falta de resposta no prazo estipulado dos consumidores que fizeram a reclamação.

Em depoimento nesta quarta-feira (6) à CPI da Pandemia, o diretor-presidente da ANS, Paulo Roberto Rebello, disse que não cabe à agência reguladora fiscalizar a conduta dos médicos que receitarem medicamentos do chamado “Kit-Covid”.

Procurada pela CNN, a ANS ainda não respondeu à reportagem. A Prevent Senior nega que profissionais de saúde tenham prescrito medicamentos como ivermectina ou hidroxicoloroquina sem o consentimento dos pacientes ou de seus familiares.

Mais Recentes da CNN