Brasil registra 404 mortes e mais de 16 mil casos de Covid-19 em 24 horas

Nesta semana, país ultrapassou a marca de 600 mil mortes devido ao coronavírus

Cemitério em Manaus (AM) em meio à pandemia de coronavírus
Cemitério em Manaus (AM) em meio à pandemia de coronavírus Semcom/Prefeitura de Manaus

João de Marida CNN

Em São Paulo

Ouvir notícia

O Brasil registrou 404 mortes e 16.451 novos casos de Covid-19, segundo dados publicados pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) nesta sábado (9). Os números são referentes às últimas 24 horas.

Em comparação ao sábado passado, são 64 mortes a menos no período de 24 horas, mas 2.985 casos a mais da doença. Ao todo, o território brasileiro acumula 600.829 mortes pela doença e 21.567.181 infectados.

São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Bahia e Santa Catarina são os estados mais afetados pela pandemia. Todos ultrapassam a marca de 1 milhão de infectados.

 

Nesta semana, o Brasil ultrapassou a marca de 600 mil mortes pela Covid-19. Em 19 de junho, o número de vítimas era 500 mil. Menos de seis meses após o primeiro registro de óbito, em agosto de 2020, o país contou as 100 mil mortes por coronavírus.

O país é o segundo país no mundo com o maior número de vítimas da Covid-19, atrás apenas dos Estados Unidos, que registram 713 mil mortes, segundo dados da Universidade Johns Hopkins.

Painel da vacina

O Brasil está em 59º lugar no ranking global de aplicação de doses da vacina contra Covid-19 neste sábado (9), na relação a cada 100 habitantes. O país já esteve na 56ª posição deste ranking e chegou a descer para 70º.

Entre os países do G20 — maiores economias mundiais —, o Brasil ocupa a 13ª posição na quantidade de doses aplicadas a cada 100 habitantes. Os primeiros lugares são ocupados por China, com 153,64 doses, Canadá, com 149,63, e Itália, com 142,55.

Outros países que também estão a frente são França (141,99), Reino Unido (138,12), Japão (136,55) e Coreia do Sul (134,05).

Doses faltantes

Segundo informações encaminhadas à CPI da Pandemia pela Secretaria Extraordinária de Enfrentamento à Covid-19, vinculada ao Ministério da Saúde, o Programa Nacional de Imunizações (PNI) ainda aguarda receber 207.870.340 doses de vacinas, pelos contratos vigentes.

Coronavac em 2022

O governador de São Paulo, João Doria, disse na sexta-feira (8) que o estado vai continuar comprando, produzindo e aplicando a vacina Coronavac, mesmo se o Ministério da Saúde não fechar novos contratos para o Plano Nacional de Imunização (PNI) de 2022.

(*Com informações de Lucas Rocha, da CNN, em São Paulo)

Mais Recentes da CNN