Centrais sindicais fazem campanha financeira para comprar oxigênio para Amazonas

Centrais sindicais fazem campanha financeira para comprar oxigênio para Amazonas 

Cilindros com oxigênio líquido transportados pela FAB serão distribuídos aos hospitais de Manaus
Cilindros com oxigênio líquido transportados pela FAB serão distribuídos aos hospitais de Manaus Foto: Divulgação - 15.jan.2021/Governo do Amazonas

Thais Arbexda CNN

Ouvir notícia

As seis principais centrais sindicais do país – Força Sindical, CUT (Central Única dos Trabalhadores), UGT (União Geral de Trabalhadores), CTB (Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil), CSB (Central dos Sindicatos Brasileiros) e Nova Central – decidiram fazer uma campanha financeira entre suas entidades filiadas para dar início nesta sexta-feira (15) a uma campanha para arrecadar recursos para compra de oxigênio para o estado do Amazonas. 

Em reunião no início desta tarde, os presidentes da Força Sindical, Miguel Torres, da CUT , Sérgio Nobre, e da UGT, Ricardo Patah, formalizaram a iniciativa. Em uma hora, as centrais arrecadaram R$ 100 mil entre os sindicatos filiados. 

Desde quinta-feira (14), a cidade de Manaus, capital do estado, está sem oxigênio hospitalar em virtude do aumento da demanda provocado pela explosão de casos de Covid-19. O consumo do gás pelo menos triplicou nos últimos dias e, nas últimas 24 horas, a cidade usou o estoque disponível para 10 dias. 

Diante do caos, o estado começou a transferir pacientes de casos moderados de Covid-19 para outros estados, entre eles o Maranhão, o Piauí e o Distrito Federal. Os primeiros tanques de oxigênio transportados pela FAB começaram a chegar à capital amazonense nesta manhã. 

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou nesta sexta-feira em suas redes sociais que “todos os meios foram disponibilizados” para atender a população do Amazonas. Já o vice-presidente Hamilton Mourão disse que não era possível prever a crise por causa da nova variante do novo coronavírus descoberta em Manaus.

No fim do ano, o governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), tentou decretar lockdown na cidade, mas voltou atrás depois de protestos. Alguns parlamentares bolsonaristas comemoraram a desistência em redes sociais.

Mais Recentes da CNN