Com novo recorde, Brasil ultrapassa 25 milhões de casos de Covid-19

Números divulgados pelo Conass mostram que país chegou a média móvel de de 183.289 casos de Covid-19 e 474 óbitos decorrentes da doença

Kaluan Bernardoda CNN

Ouvir notícia

O Brasil registrou, nas últimas 24 horas, 269.968 casos de Covid-19 — mais um recorde na pandemia. Os números são do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass).

Com isso, o país ultrapassou a marca dos 25 milhões de casos registrados e chega a exatamente 25.034.806 infecções confirmadas desde o início da pandemia.

O número de óbitos decorrentes da Covid-19 também cresceu e chegou a 799, um aumento de quase 19% em relação aos 672 registrados na última quinta-feira (27).

A média móvel, que considera a média dos números dos últimos sete dias, também cresceu tanto em casos quanto em óbitos. Já são 652.884 mortes registradas desde o início da pandemia.

O Brasil registra, nesse momento, média móvel de 183.289 casos de Covid-19 e 474 óbitos decorrentes da doença — este é o maior número desde 5 de outubro de 2021, quando a média móvel foi de 483.

Esta sexta-feira (28) também marca o nono dia seguido em que a média móvel de casos do país fica acima de 100 mil.

São Paulo é o estado que se destaca na média móvel de casos com 11.256 infecções por Covid-19 em sete dias (hoje + 6 dias).

Este número representa um crescimento de 5,0% em relação à média móvel de ontem (ontem + 6 dias) e um crescimento de 64,8% em relação à média móvel da semana anterior, de 15 a 21 de janeiro.

A média móvel de casos não era tão alta no estado desde 12 de julho de 2021, quando o número foi de 11.316.

Anvisa autoriza por unanimidade o uso de autotestes de Covid-19 no Brasil

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou o uso de autotestes de Covid-19 no Brasil. A decisão aconteceu nesta sexta-feira (28), após votação da Diretoria Colegiada da agência a partir da análise da solicitação e envio de informações complementares pelo Ministério da Saúde. Leia mais. 

Pico de internações em SP deve acontecer em três semanas, diz Gabbardo

João Gabbardo, coordenador-executivo do Comitê Científico do estado de São Paulo, afirmou à CNN nesta sexta-feira (28) que o pico de internações de Covid-19 suscitado pela onda atual da variante Ômicron deve ser atingido em três semanas, com uma consequente queda na ocupação dos leitos e possível  “situação mais tranquila” em março. Leia mais.

Nunca vi nada parecido à transmissibilidade da Ômicron, diz David Uip

O Brasil registrou  mais um recorde de casos diários de Covid-19: 228.954 infecções, número recorde desde o início da pandemia. O número de mortes também aumentou em relação a ontem, com 672 notificações, segundo dados do Conass. A crescente na taxa de contaminação é associada à prevalência da variante Ômicron no país. Em entrevista à CNN, o médico infectologista e membro do Conselho Científico de São Paulo, David Uip, afirmou que “nós temos uma variante extremamente infectante, como eu, pessoalmente, nunca vi. Eu tenho 46 anos de formado e não vi nada parecido”. Leia mais.

Mais Recentes da CNN