Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Em São Paulo, hospital tem aumento de 5 vezes na procura por atendimento

    Por outro lado, pacientes têm apresentado quadro mais leves de Covid-19, informa líder do pronto-socorro

    Ludmila Candal, Julyanne Jucá e Fábio Munhozda CNN

    São Paulo

    Ouvir notícia

    Diante do aumento nos casos de contaminações pela variante Ômicron do coronavírus e do vírus influenza A H3N2, o hospital privado Hcor, em São Paulo, bateu recorde de atendimentos no pronto-socorro (PS). Na última terça-feira (4), 388 pacientes passaram por lá: maior número registrado pela instituição em 45 anos.

    “A gente tem observado um aumento importante da procura do atendimento por causa de síndrome gripal. Nós percebemos, Comparando com o início de dezembro, aumentou de 4 a 5 vezes o número de pacientes que nos procuram com síndrome gripal. Na comparação com duas semanas atrás, isso dobrou” afirmou o líder médico do PS do Hcor, Bernardo Noya, em entrevista à CNN nesta quinta-feira (6).

    Ele explica que, quando se trata de síndrome gripal, estão incluídos tanto os pacientes com Covid-19 quanto pela influenza. Nas últimas semanas, porém, a distribuição desses casos vem sendo modificada.

    “Há 40 dias, tínhamos uma baixa taxa, tanto de Covid quanto de influenza. No fim de dezembro, passamos a ter um aumento significativo dos quadros de influenza, chegando a 40% dos nossos atendimentos, enquanto o Covid estava abaixo de 10%.  E nesta última semana observamos novamente o aumento do Covid, chegando a 50% dos casos, comparado com a Influenza, que baixou para 10% [do total]”, diz o médico.

    Apesar do aumento na procura pelo pronto-atendimento, Noya ressalta que os pacientes que têm passado pelo PS estão com quadros mais leves do que aqueles que davam entrada durante os outros momentos de pico da doença, em 2020 e 2021. “Isso mostra que a cepa dessa vez apresenta ter um pouco menos de complexidade e gravidade”, admite, ponderando que a transmissibilidade da Ômicron é maior.

    Por outro lado, mesmo com gravidade menor, Noya avalia que, se o número de infecções continuar aumentando rapidamente no Brasil, poderá ocorrer, “em breve”, uma nova sobrecarga do sistema de saúde, tanto privado quanto público.

    Bernardo Noya, líder médico do PS do Hcor, alerta para possível sobrecarga no país
    Bernardo Noya, líder médico do PS do Hcor, alerta para possível sobrecarga no país / CNN/Reprodução

    Mais Recentes da CNN