Em uma semana, testes positivos para Covid em farmácias já superam dezembro

Segundo a Abrafarma, volume de testes feitos no início de janeiro é cinco vezes superior em comparação a novembro de 2021

Mais de 480 mil pessoas procuraram testes em farmácias na primeira semana de janeiro de 2022
Mais de 480 mil pessoas procuraram testes em farmácias na primeira semana de janeiro de 2022 Myke Sena/MS

Danilo MoliternoTiago Tortellada CNN

Ouvir notícia

Os testes positivos para a Covid-19 realizados em farmácias na primeira semana de janeiro já superaram todo o mês de dezembro de 2021, segundo levantamento da Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma) junto à plataforma Clinicarx.

De acordo com um comunicado da associação, entre os dias 3 e 9 de janeiro, 482.126 pessoas fizeram testes para a doença em farmácias, um aumento de 70% em comparação à semana anterior. Desse total, 145.673 tiveram diagnóstico positivo para a Covid.

O volume de testes realizados em uma semana é 54% maior do que em todo o mês de dezembro de 2021 e cinco vezes superior a novembro, quando foram feitas 94.540 avaliações.

Ainda assim, segundo Sérgio Barreto, CEO da Abrafarma, o percentual de confirmações de Covid caiu de 33,32% para 30,21%, nível que “ainda é alarmante”.

Os dados, coletados junto a 4.613 farmácias, mostram que, a partir de dezembro, houve uma explosão nos casos de Covid-19. Em outubro, foram 59.380 infecções; em novembro, 50.243; em dezembro, 144.720 e na primeira semana de janeiro já são 145.673 diagnósticos.

Na rede privada, também foi registrado um aumento no número de testes para a doença, com um crescimento de 98% em comparação aos diagnósticos feitos no Natal.

Isso tem reflexo em diversos estados do Brasil. São Paulo, por exemplo, registrou quase 1.800 servidores de saúde afastados por doenças respiratórias. No Rio de Janeiro, a taxa de positividade está em 50%, e a prefeitura solicitou a reabertura de 400 leitos ao Ministério da Saúde.

Com esse cenário, especialistas defendem a reavaliação das medidas restritivas. Nesta quarta-feira, o governo de São Paulo recomendou a diminuição da capacidade de público em eventos.

Mais Recentes da CNN