Intervalo reduzido de doses respeita bulas das vacinas, diz secretário de SP

A partir desta segunda-feira (23), quem espera pela segunda dose dos imunizantes da Pfizer e da AstraZeneca na cidade de São Paulo pode se inscrever na "xepa da vacina"

Produzido por Layane Serrano e Renata Souzada CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

A partir desta segunda-feira (23), as pessoas que esperam pela segunda dose dos imunizantes da Pfizer/BioNTech e da AstraZeneca na cidade de São Paulo podem se inscrever na “xepa da vacina”.

Isso acontece porque o intervalo para o recebimento dos imunizantes pode ser antecipado na capital. Assim como na primeira “xepa”, a aplicação de doses remanescentes está sujeita à disponibilidade no fim do dia nas UBS (Unidade Básica de Saúde). 

Em entrevista à CNN, o secretário municipal de Saúde de São Paulo, Edson Aparecido, afirmou que o intervalo reduzido entre as doses de vacinas contra a Covid-19 respeita as bulas dos imunizantes. 

A partir de hoje, todas as pessoas que tomaram a primeira dose destas vacinas há 30 dias já podem ir a uma unidade de saúde para se cadastrar na “xepa”, na qual são usadas as doses restantes, para que não haja o desperdício de imunizantes. Até então, era necessário cumprir a espera de 60 dias antes de poder tomar a segunda dose.

“Houve uma alteração do prazo tanto para a vacina da Pfizer quanto da AstraZeneca em função das dificuldades que o Programa Nacional de Imunização (PNI) tinha há uns meses de fornecimento de vacina. Manteve-se esse calendário, mas estamos respeitando rigorosamente aquilo que está escrito na bula de cada um dos imunizantes”, disse Aparecido.

A redução do intervalo faz parte do plano de imunizar completamente a população o quanto antes, para evitar a transmissão da Covid-19 e suas variantes.

 

Mais Recentes da CNN