Melhor voltar aos poucos do que de uma vez, diz Gabbardo sobre público nos estádios

À CNN, o coordenador do Centro de Contingência contra a Covid-19 de São Paulo falou sobre o alerta que o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta fez sobre a operadora Prevent Senior, que se tornou alvo de investigações da CPI da Pandemia

Da CNN*

Em São Paulo

Ouvir notícia

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou que a partir de outubro os estádios poderão receber torcida para os jogos de futebol.

Em entrevista à CNN, João Gabbardo, coordenador do Centro de Contingência contra a Covid-19 do estado, explicou que a decisão acontece porque é melhor voltar aos poucos do que de uma vez só.

“Nós estávamos prevendo a liberação do público em eventos como esse para o início de novembro, mas em função dos números que nós temos, como a baixa nos casos, internações e óbitos, além da variante Delta não ter um impacto grande em São Paulo, é possível que façamos de forma gradual para não chegar no dia 1º [de novembro] e liberar de uma vez só”, diz.

Segundo Gabbardo, a ocupação por setor no estádio será de 30%. “Dando tudo certo no início do mês de outubro, na metade [em 15 de outubro] iremos ampliar para 50%, mantendo as mesmas recomendações acordadas.”

O governo do estado afirma que para comparecer aos jogos, os torcedores devem estar imunizados com as duas doses da vacina ou com a dose única, no caso da Janssen.

Quem estiver vacinado apenas com a primeira dose, poderá comparecer desde que apresente teste antígeno contra a Covid-19 com realização nas últimas 24 horas, ou o teste RT-PCR feito em até 48 horas.

O uso de máscara será obrigatório em todos os setores do estádio.

Prevent Senior

À CNN, Gabbardo falou sobre o alerta que o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta fez no dia 31 de março de 2020 sobre a operadora Prevent Senior, que se tornou alvo de investigações da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia.

O então ministro da Saúde afirmou que, naquele início de pandemia, havia uma taxa alta de mortes de idosos no hospital, e, inclusive, havia a possibilidade de intervenção nos hospitais da operadora.

Segundo Gabbardo, o governo não acreditou na denúncia.

“Esse vídeo me trouxe muitas recordações. Eu penso que se o governo tivesse acreditado na equipe que estava no Ministério Saúde, a evolução da pandemia seria muito diferente no Brasil”, avalia.

“Naquele momento, nós estávamos absolutamente em sintonia com os governos estaduais e municipais, e esse tema da Prevent Senior tinha sido levado ao Ministério da Saúde por preocupações do governo de São Paulo, e a pasta prontamente assumiu esse tema dando recomendações e alertas para que isso não continuasse ocorrendo.”

Uma “pena”, porém, disse Gabbardo, que após essas recomendações, duas semanas depois o ex-ministro Mandetta foi exonerado.

(*Com informações de Anna Gabriela Costa e Caio Junqueira, da CNN, em São Paulo)

 

 

 

Mais Recentes da CNN