Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Pediatra recomenda vacinação e alerta: “Covid pode, sim, matar crianças”

    Em entrevista à CNN Brasil, Ana Escobar reforçou a importância da imunização contra o coronavírus entre a faixa etária de 5 a 11 anos

    Vinícius TadeuProduzido por Ludmila Candalda CNN

    São Paulo

    Ouvir notícia

    Diante da aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) ao pedido da Pfizer para vacinar crianças de 5 a 11 anos contra a Covid-19 no Brasil, a pediatra Ana Escobar afirmou à CNN Brasil que a imunização desta faixa etária é fundamental, principalmente porque “as crianças podem, sim, eventualmente vir a óbito por conta da Covid”. 

    “A Covid mata, sim, crianças. Neste ano de 2021 houve mais ou menos 2.500 óbitos em crianças e adolescentes. É um número enorme se a gente considerar que são crianças. Então a gente tem que se proteger e proteger inclusive as crianças”, reforçou. 

    A vacina também será aplicada em duas doses, porém a dosagem para o público infantil será ajustada e um terço menor que a utilizada por maiores de 12 anos. Segundo a Anvisa, a proposta é ter frascos diferentes, com dosagem específica para cada grupo. Os frascos serão diferenciados pela cor, roxa para adultos e adolescentes e laranja para crianças, de acordo com a Pfizer. 

    A pediatra destacou que não há ocorrências de efeitos colaterais que contraindiquem o uso do imunizante da Pfizer, e aproveitou para tranquilizar os responsáveis e incentivar a vacinação: “Pais, fiquem seguros, vacinem seus filhos. É uma vacina segura”. 

    Escobar esclareceu que a reação ao imunizante mais comum que vem sendo relatada é a de dor no braço da aplicação. No entanto, para a pediatra “o organismo das crianças sabe responder muito melhor às vacinas”.  

    A médica ainda disse que o ideal seria iniciar a vacinação das crianças de 5 a 11 anos o quanto antes. 

    O início da campanha de imunização de crianças será definido pelo Ministério da Saúde, ainda sem previsão de data. As doses para uso pediátrico ainda não estão disponíveis no país.    

    Mais Recentes da CNN