Pessoas que tiveram AVC têm mais risco de infarto, revela estudo da USP

No quadro Correspondente Médico, neurocirurgião Fernando Gomes explicou como ambas doenças se manifestam de forma semelhante e, por isso, têm relação entre si

Da CNN*

Em São Paulo

Ouvir notícia

Na edição desta sexta-feira (1º) do quadro Correspondente Médico, do Novo Dia, o neurocirurgião Fernando Gomes falou sobre a relação entre quem já teve um AVC e a possibilidade de infartar.

Um estudo da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) aponta que pessoas que tiveram o acidente vascular cerebral têm mais risco de infarto do miocárdio. Para chegar a esse resultado, os pesquisadores avaliaram o escore de cálcio de 120 pacientes.

Gomes explicou que o escore de cálcio é detectado em exame de imagem e avalia o risco de doenças a partir da visualização do interior das artérias. “Através dessa classificação é possível inferir se existe um grau de acometimento maior ou menor das artérias pela doença”, disse.

Sobre a relação entre AVC e infarto, o médico destacou que ambas doenças são disseminadas pelos vasos sanguíneos, comprometendo a chegada de sangue oxigenado para os tecidos dos respectivos órgãos (cérebro e coração).

“No AVC, vasos que levam sangue para o cérebro podem entupir ou romper e, com isso, o sangue não chega para oferecer os nutrientes necessários e se tem a morte de uma parte desse órgão”, apontou Gomes.

“Quando esse evento acontece dentro da caixa torácica, ou seja, nas artérias coronárias, que são os vasos que levam sangue para nutrir o coração, pode levar à falta de oxigênio e esse tecido também pode morrer — e isso é o infarto agudo do miocárdio.”

(*Com informações de Nicole Lacerda, da CNN, em São Paulo)

Mais Recentes da CNN