São Paulo: 56% dos hospitais do estado não têm mais pacientes com Covid-19

São 37 hospitais no estado sem pacientes internados por conta do coronavírus

Estrutura de hospitais com leitos de UTI e enfermaria para o tratamento da Covid-19
Estrutura de hospitais com leitos de UTI e enfermaria para o tratamento da Covid-19 Marcella Gomes

Bruna MacedoCarolina FigueiredoRafaela Larada CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

O governo do estado de São Paulo informou nesta quarta-feira (17) que 56% dos hospitais estaduais não tem nenhum paciente de Covid-19. São 37 hospitais no estado sem pacientes internados por conta do coronavírus.

Segundo dados do governo, anunciados em coletiva de imprensa, dos 66 hospitais referência para Covid-19 no estado, apenas 29 estão com algum paciente com Covid – o número representa uma redução de 56%.

“Temos boas notícias: dos 66 hospitais estaduais utilizados como referência no auge da pandemia, temos apenas 29 hospitais com algum paciente com Covid-19. A melhora dos índices da pandemia é fruto daquilo que nós sempre defendemos: vacina, vacinação”, destacou o governador João Doria (PSDB).

“A melhoria dos índices da pandemia é fruto da campanha de vacinação no estado de São Paulo, que já imunizou 100% da população adulta com pelo menos uma dose. Quase 92% dos maiores de 18 anos já estão com a imunização completa”, afirmou o secretário de estado da Saúde, Jean Gorinchteyn.

Dose de reforço

Entre os anúncios, o governo também informou que a partir desta quinta-feira (18) a dose adicional da vacina contra a Covid-19 passa a ser aplicada em todo o estado de SP para o público elegível.

A medida segue orientação do Ministério da Saúde que, nesta terça-feira (16), anunciou a redução de intervalo para dose adicional e ampliação da faixa etária.

Para o reforço vacinal, o governo do estado manteve a Coronavac e afirmou que a terceira dose será com o imunizante que estiver disponível. Conforme adiantou a CNN, o Ministério da Saúde descartou a Coronavac para reforço – segundo a pasta, a terceira dose deve ser feita com as vacinas da AstraZeneca, Pfizer ou até mesmo Janssen.

Flexibilização do uso de máscaras em locais abertos

Segundo as avaliações do comitê científico do governo de São Paulo, é provável que o estado atinja um patamar que permita a flexibilização do uso de máscaras contra a Covid-19 para locais abertos ainda neste mês.

“É provável que nos próximos 10 ou 20 dias chegaremos a um patamar que nos permitirá tirar a obrigação da máscara nos locais abertos”, disse Paulo Menezes, coordenador do comitê.

Na última semana, a prefeitura de São Paulo afirmou que mantém a obrigatoriedade da máscara até 5 de dezembro – após a data haverá nova avaliação da situação epidemiológica da cidade.

“Até o final do mês de novembro poderemos atingir os patamares exigidos pelo comitê. Na última semana de novembro, provavelmente”, disse João Gabbardo, membro do comitê do estado, nesta quarta.

Mais Recentes da CNN