Teremos mais duas ou três semanas difíceis, diz diretor de associação de hospitais

Levantamento da CNN indica que pelo menos oito capitais têm mais de 80% de leitos de UTI ocupados

Juliana AlvesRenata Souzada CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

Em entrevista à CNN, o diretor executivo da Associação Nacional de Hospitais Privados (Anahp), Antônio Britto, afirmou que “nós temos de duas a três semanas muito difíceis pela frente, porque estamos exatamente no ponto onde junta-se a velocidade no crescimento de casos e a velocidade determina uma crescente ocupação”.

Segundo um levantamento da agência CNN, pelo menos oito capitais brasileiras estão com mais de 80% dos leitos de UTI ocupados.

Dentre os estados, cinco deles e o Distrito Federal também superaram o mesmo patamar: Goiás, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Pernambuco e Rio Grande do Sul.

Diante desse cenário, o diretor da Anahp recomendou que, além dos demais cuidados sanitários, a população evite ir a hospitais, quando não for necessário.

“Só compareçam quando houver uma consistência de sintomas que recomende esse comparecimento”, orientou.

Antônio Britto ainda alertou para o risco que pode oferecer a chegada do Carnaval.

“A gente não pode achar que é uma boa situação, porque ao invés de estarem morrendo quatro mil, estão morrendo, como hoje, 800. A situação persiste como muito grave”, afirmou.

Profissionais da saúde

Com o avanço dos casos, o afastamento de profissionais da saúde infectados preocupa os estados.

O diretor da Anahp explicou que, em circunstâncias normais, têm-se de 2,5 a 3% de profissionais afastados nos hospitais. “Neste momento, não há hospital que não tenha 5, 7 ou 10% dos seus profissionais afastados”, disse.

Mais Recentes da CNN