Do chef Henrique Rossanelli, ‘Absurda’ é a nova confeitaria do momento no Rio de Janeiro

Chef que comandava a confeitaria do 'Oro', de Felipe Bronze, abre seu próprio negócio e oferece suas criações ao público em uma casa tombada, em frente ao Horto

Quindim da Absurda Confeitaria é feito com gemas de ovos caipiras, coco fresco ralado e suco de maracujá
Quindim da Absurda Confeitaria é feito com gemas de ovos caipiras, coco fresco ralado e suco de maracujá Reprodução Instagram

Daniela Caravaggido Viagem & Gastronomia Rio de Janeiro

Se você estiver caminhando pelo Horto, no Jardim Botânico, dificilmente passará desapercebido pela ‘Absurda‘, nova confeitaria do Rio de Janeiro. Comandada pelo chef Henrique Rossanelli, o local abriu há 1 mês e meio em uma das casas históricas e tombadas que a região abriga.

A casa já fica lotada, com filas daqueles que desejam provar as sobremesas tradicionais com toques originais que o chef confeiteiro oferece. Lá, o clássico pudim de leite condensado com caramelo ganha sua versão dentro de um potinho (R$ 22,50). O quindim, por sua vez, é servido em formato retangular no sabor maracujá (R$ 23,90); já a eclair é encontrada com diferentes recheios, entre eles o de chocolate com café e avelã (R$ 22,50).

Absurda fica localizada no Horto, no Jardim Botânico, no Rio de Janeiro, em casa de mais de 100 anos / Divulgação

 

Chefs fazem parte de sua história

Henrique teve seu primeiro contato com o universo de restaurantes de forma natural. Sua família sempre foi dona de lanchonetes. Gostava da ideia de trabalhar com o público e foi se interessando cada vez mais pelo tema. Fez um curso de técnicas para gastronomia e conseguiu seu primeiro trabalho na área em 2013, em São Paulo. Foi quando conheceu o chef confeiteiro Lucas Corazza, que teve papel determinante em sua formação.

“Me ofereci para trabalhar com ele e tudo o que eu sei sobre confeitaria devo a ele. Aprendi muito. Fiz parte de sua equipe e trabalhamos em diversos eventos, peguei o boom das feiras de rua”, lembra.

Em seguida, entrou para a faculdade de gastronomia e resolveu se inscrever em um programa de televisão que tinha a proposta de ser uma competição entre cozinheiros amadores, o The Taste Brasil, do canal GNT. Renomados chefs formariam equipes e seriam os jurados. Um deles era Felipe Bronze.

Henrique participou da atração e ficou em sexto lugar, mas ganhou muito mais do que isso: foi convidado para trabalhar no Oro, restaurante estrelado do Felipe que à época estava sendo reinaugurado no Leblon.

Sem nunca ter pisado no Rio de Janeiro, Henrique encarou o desafio e se mudou para a cidade totalmente desconhecida que seria sua casa até hoje, seis anos depois.

A pandemia e a criação da Absurda

No Oro, com 26 anos, foi nomeado chef confeiteiro por Bronze, que fazia questão de apresentá-lo desta forma aos clientes. Diferentes técnicas, como sobremesas feitas na brasa, ganhavam destaque por lá.

“Observava o olhar de chef e também o de administrador que ele tinha, sempre se desdobrando em mil, e aprendia muito com isso. Sempre muito solícito, me deu carta branca para criação do menu de sobremesas. Ele colaborava e me ajudava, dando todo o suporte necessário. Foi um amadurecimento profissional e experiência muito especiais”, ressalta.

Após cerca de dois anos, Henrique entendeu que era hora de buscar novos caminhos. Depois de uma longa conversa com o chef, pediu demissão. Foi trabalhar no Lília Café, também no Rio, que tinha uma proposta mais casual, e começou a dar aulas. Até que no fim de 2019, em um evento, foi convidado por um chef canadense para trabalhar no país.

“Meio na loucura, aceitei o convite para me mudar ao Canadá. Juntei dinheiro, organizei a viagem e me despedi de todo mundo. Quando chegou a semana de embarcar, as fronteiras foram fechadas por conta da pandemia e tive de ficar por aqui”, lembra.

As aulas online foram a solução no início, mas algo o chamava para voltar à cozinha. Junto com amigos, resolveu empreender e a fazer doces em casa. Criaram a ‘Quique isso’ – o nome veio de uma brincadeira com seu apelido “Quique”, de Henrique.

“Mergulhamos em cima disso e tudo foi ficando mais leve. Entramos no delivery e estruturamos nosso pequeno negócio. Vendíamos doces no pote, fazíamos o cardápio da semana e divulgávamos nas redes sociais. Foi uma loucura. A porta da nossa casa vivia cheia de motoboys. Isso nos sustentou entre 2020 e 2022”, ressalta.

Pudim de leite condensado com caramelo no pote é um dos mais pedidos na confeitaria / Reprodução Instagram

Com muitos elogios e produtos que acreditavam, os amigos resolveram apostar na ideia de uma cafeteria. Foram em busca de uma casa e criaram um nome do zero, que marcaria este novo momento. Nasceu, então, em setembro de 2022 a Absurda Confeitaria.

“A ideia é que as pessoas comam e pensem exatamente isso: que sobremesa absurda de boa. Não queremos inventar a roda na confeitaria. Pegamos doces antigos e damos novos sabores. Visitamos clássicos com uma atenção maior na execução. Gosto do novo velho”, enfatiza.

Inicialmente, a operação funcionava apenas por delivery enquanto questões burocráticas do espaço físico estavam sendo resolvidas. Após cinco meses, no Horto, em uma casa de quase 120 anos toda reformada em frente ao Jardim Botânico, a confeitaria abriu as portas.

Bolo de brigadeiro da confeitaria é feito com massa intensa de cacau e brigadeiro de chocolate meio amargo / Reprodução Instagram

O cardápio da Absurda Confeitaria

Aconchegante, o local conta com sofás e mesinhas distribuídas em dois ambientes que comportam cerca de 25 pessoas sentadas. Na parte de dentro, é possível observar o movimento da cozinha por uma janela. Quem preferir ou estiver com pets, pode fazer o pedido no caixa e comer em bancos do lado de fora da confeitaria.

Na parte interna da confeitaria, clientes encontram sofás e uma janela que mostra o movimento da cozinha / Daniela Caravaggi

No cardápio, as sobremesas ganham destaque. Além do pudim de leite condensado e o quindim de maracujá, os clientes encontrarão cookies com gostas de chocolate ao leite e amargo (R$ 12,50); brownie (R$ 12,90); bolo de banana com canela (R$ 12,50); carrot cake, um dos mais famosos do chef, com cenoura, nozes, canela, raspas de laranja, limão e recheio de cream cheese (R$ 23,90); bolo de brigadeiro (R$ 25,90); cheesecake de frutas vermelhas (R$ 29,90); pavê de cookies, com mousse de chocolate branco coberto com ganache de chocolate amargo (R$ 28,50) e eclair e tortinhas do dia de sabores variados.

Bebidas quentes e frias, além de salgados, como o “joelho da casa”, uma massa folhada recheada com presunto feito lá mesmo, requeijão e queijo minas padrão (R$ 22,50), também têm seu espaço por lá. Na primeira página do menu, há uma folha especial com as “opções do dia”, que vão variando.

Há também itens prontos para serem levados para casa, como a granola caseira (R$ 37); babka de chocolate (uma massa amanteigada recheada de cacau – R$ 38,50); o bolo de banana de canela inteiro (R$ 36,90) e a geleia do dia (R$ 35,90).

Eclair da Absurda Confeitaria / Tina Bini

Absurda Confeitaria: Rua Pacheco Leão, 792 – Jardim Botânico, Rio de Janeiro/ Tel.: (21) 99193-3440/ Horário de funcionamento: terça a sexta, das 11h às 19h; sábado e domingo, das 9h às 19h. Fechada às segundas-feiras.