Agora maior e mais classudo, Haru Sushi merece ser descoberto no Rio de Janeiro

Haru Sushi ganha segundo andar com mesas e balcão que acomoda até 15 pessoas. O menu segue impecável com peixes, frutos do mar, iguarias e boa seleção de saques em taça

Omakase hitori reúne os melhores peixes do dia e iguarias como uni, atum toro e vieira
Omakase hitori reúne os melhores peixes do dia e iguarias como uni, atum toro e vieira Fabio Wright

Fabio Wrightcolaboração para o Viagem & Gastronomia Rio de Janeiro, RJ

Montado de forma despretensiosa numa pequena galeria em Copacabana, o Haru Sushi construiu sua fama na base do boca-a-boca. Com mesas na calçada e aparência de boteco, tornou-se um endereço cult entre insiders cariocas e passou a ser frequentado por chefs, foodies, artistas e músicos.

O motivo? A ótima cozinha japonesa oferecida ali, elaborada com uma admirável variedade de peixes e frutos do mar — tudo de grande frescor.

No fim de setembro, uma novidade fez do Haru um lugar ainda melhor. Sem abandonar a informalidade do térreo, a casa estreou no piso superior da galeria um classudo salão com 55 lugares — quinze deles no balcão.

Casa passou por reforma e ganhou ambiente no piso superior com 55 lugares — quinze deles no balcão / Fabio Wright

A expansão era um antigo sonho do proprietário da casa, Menandro Rodrigues, o Nandro. Entusiasta da cozinha tradicional japonesa, ele abriu o Haru depois de trabalhar na importadora de vinhos Winebrands e nos restaurantes Sushi Leblon e Nakombi, onde foi maître e sommelier.

Natural de Lorena, no Vale do Paraíba, em São Paulo, e radicado no Rio há mais de 30 anos, ele conta que vai pessoalmente escolher as matérias-primas em Niterói, diretamente dos pescadores, pelo menos duas vezes por semana.

Além disso, é expert em saquês e estuda a língua japonesa com professora particular. Seu plano no segundo semestre de 2023 é conhecer o Japão.

Atum em cubos servido com gema de ovo caipira e molho ponzu / Fabio Wright

Entre as entradas para compartilhar, fazem bonito o atum em cubos servido com gema de ovo caipira e molho ponzu (R$ 52) e o roll de tempurá de camarão com salmão maçaricado e ovas de capelin (R$ 42).

A casa também aderiu à moda dos buns, os sanduíches orientais naquele pão fofinho cozido no vapor. A versão do Haru traz lombo suíno empanado mais pepino japonês, picles de cebola-roxa e aïoli de wasabi (R$ 39).

Bun de lombo suíno empanado com pepino japonês, picles de cebola-roxa e aïoli de wasabi/ Fabio Wright

Guarde apetite para provar algumas das mais de 30 sugestões de sushis e sashimis em cortes generosos, oferecidos também em combinados.

Vale apostar na seleção chamada omakase hitori (R$ 125), de 19 peças, que reúne os melhores peixes do dia e iguarias como uni (ovas de ouriço), foie gras, atum toro e vieira (com manteiga noisette e sal maldon).

Para quem não dispensa um saquê para acompanhar e gosta de provar diferentes rótulos na mesma visita, o Haru oferece oito sugestões em taça. As garrafas ficam acondicionadas numa máquina recém-chegada que preserva e refrigera as bebidas.

Fique ligado: a casa fecha todo primeiro domingo do mês.

Haru Sushi: Rua Raimundo Corrêa, 10, Copacabana – Rio de Janeiro – RJ / Tel.: (21) 2547-6867 e 96732-2668 / Horário de funcionamento: terça a domingo, das 12h às 23h30. Não abre às segundas-feiras.


Fabio Wright é jornalista gastronômico e nome por trás do site e perfil Taste and Fly / divulgação

Jornalista paulistano que transita semanalmente entre São Paulo e Rio, já escreveu sobre gastronomia para grandes veículos, como Veja São Paulo, O Estado de S. Paulo e Época São Paulo. Nos últimos dez anos, visitou dezoito países em busca de bons lugares para comer, beber, badalar e exercitar a boemia. Compartilha também suas descobertas no site e Instagram Taste and Fly.