Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Crianças que fogem sozinhas da Ucrânia são alvos de tráfico, diz porta-voz do Acnur

    Ao todo, pelo menos 1,5 milhão de crianças deixou o território ucraniano desde início da guerra, segundo o Unicef

    Ludmila CandalRenata Souzada CNN

    em São Paulo

    Ouvir notícia

    Pelo menos 1,5 milhão de crianças fugiu da Ucrânia desde a invasão russa, segundo o Unicef. Dentre elas, autoridades identificaram, inclusive, menores de idade desacompanhados. Em entrevista à CNN, o porta-voz do Alto-comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur), Luiz Fernando Godinho, alertou para o fato de as crianças que fogem da guerra sozinhas serem alvos claros de tráfico humano.

    “A gente está muito atento, junto com as autoridades governamentais, às crianças que estão desacompanhadas, crianças que estão sem qualquer responsável maior de idade, porque elas são um alvo muito claro para organizações que fazem tráfico de pessoas, tráfico de órgãos”, disse.

    No dia 5 de março, o Ministério do Interior da Eslováquia confirmou que um menino ucraniano de 11 anos cruzou sozinho a fronteira do país. Segundo comunicado, as autoridades conseguiram localizar seus parentes que vivem na Eslováquia e que o receberam.

    Ao todo, pelo menos menos 3,5 milhões de pessoas fugiram da Ucrânia desde o início da guerra, segundo estimativas da ONU. Elas se juntam aos milhões de refugiados de guerra em todo o mundo. Segundo Godinho, ao menos 83 milhões de pessoas estavam deslocadas de suas nações em 2020 por guerras, conflitos e perseguições.

    “Os países terão que lidar com essa população caso ela não tenha condições de voltar ao seu país.” Se a situação chegar a esse estágio, o porta-voz explica que os governos terão que inserir os refugiados no mercado de trabalho e nos sistemas de educação.

    “Ninguém quer ser refugiado, todo mundo quer voltar para casa”, afirma o porta-voz. No entanto, segundo ele, a Ucrânia vive uma “destruição generalizada, inclusive de infraestrutura, que vai prejudicar o retorno dessas pessoas ao país”

    Mais Recentes da CNN