Avó e 3 netos morrem em casa incendiada durante nevasca e falta de luz no Texas

Incidente foi registrado há uma semana em Sugar Land, no subúrbio de Houston; família se aquecia com lareira durante falta de energia que afetou estado

Hollie Silverman, da CNN
22 de fevereiro de 2021 às 08:02 | Atualizado 22 de fevereiro de 2021 às 08:03
Colette  (E), Edison, a avó Loan Le, e Olivia morreram em incêndio no Texas
Colette (E), Edison, a avó Loan Le, e Olivia morreram em incêndio na cidade de Sugar Land, no Texas
Foto: Jackie Pham Nguyen/Acervo Pessoal

Quando faltou energia na casa de Loan Le, em Sugar Land, no subúrbio da cidade de Houston, no Texas, na segunda-feira (15), ela foi para a casa de sua filha a cerca de oito quilômetros de distância.

Jackie Pham Nguyen e seus três filhos, Olivia, de 11 anos, Edison, de 8 anos, e Colette, de 5 anos, ainda tinham luz em casa e estavam felizes por ter mais tempo com sua Ba Ngoai, que significa avó materna em vietnamita.

Cortes de energia e água atingiram o estado do Texas na semana passada em meio a um amplo e incomum congelamento no estado que colocou muitas famílias como a dos Nguyens em modo de sobrevivência.

"Achamos que tínhamos muita sorte porque ainda tínhamos energia até o início da noite", disse Nguyen.

Quando a energia elétrica acabou algumas horas depois, a família acendeu a lareira e jogou jogos de tabuleiro e cartas, disse ela.

As crianças tentaram ensinar à avó alguns jogos de cartas e a família se deitou por volta das 21h30.

"Coloquei meus filhos na cama e, depois, a próxima coisa que sei é que vim parar no hospital", disse Nguyen à CNN. "Poucas horas depois, os bombeiros e a policia chegaram e disseram que ninguém mais havia sobrevivido."

Causa do incêndio pode nunca ser conhecida

Nguyen não se lembra exatamente do que aconteceu, mas disse que estava no primeiro andar, onde ficava seu quarto, e não conseguiu subir para o quarto das crianças. 

"Eu estava lá gritando gritando seus nomes, esperando que eles saíssem de seus quartos e pulassem para que pudéssemos sair", disse ela. "Eu só me lembro de sentir que estava tão escuro e ainda posso ouvir tudo estalando ao meu redor."

Enquanto Nguyen disse que não se lembrava de muito mais daquela noite, Doug Adolph, um porta-voz da cidade de Sugar Land, disse à CNN que ela "teve que ser fisicamente impedida de voltar para casa".

Ele disse que levou mais de uma hora para colocar o fogo totalmente sob controle. O corpo de bombeiros chegou por volta das 2h da terça-feira.

"A família postou nas redes sociais que estava tentando se aquecer usando uma lareira dentro de casa", disse Adolph, acrescentando que a causa do incêndio ainda não foi determinada e talvez nunca seja.

"Não podemos dizer com certeza qual foi a causa do incêndio", explicou ele. "É possível que a investigação nunca identifique uma causa exata." Adolph disse que o bairro ficou sem energia por pelo menos oito horas.

Apesar de Nguyen ter sofrido queimaduras nas mãos, ela diz que a perda de seus filhos e de sua mãe é incomensurável.

"Meu coração está destruído", disse ela, fazendo uma pausa para capturar seus pensamentos. "Eu nunca vou ser a mesma."

"Estou em um modo tático de crise agora e estou realmente focada em todos os arranjos finais, porque este é o último tipo de coisa que farei pelos meus filhos"

Jackie Pham Nguyen, mãe das crianças

'Pequenos humanos incríveis'

Quando Nguyen fala sobre seus filhos, ela conta sobre suas grandes personalidades em pequenos corpos. "Meus filhos eram humanos fenomenais, incríveis e durões", disse ela sobre os três.

Olivia e Colette comemorariam aniversários consecutivos no próximo mês, em 27 e 28 de março. Todas as três crianças frequentavam a Igreja Católica de St. Laurence.

"Colette era um pequeno foguete e tinha muito carisma", disse Nguyen. "Ela também, com 5 anos de idade, tinha esse nível de confiança. Ela nunca tinha medo, totalmente sem remorso, não se intimidava."

Colette adorava dançar e fazer vídeos no TikTok. Ela amava Taylor Swift e Shawn Mendes e queria ser líder de torcida e presidente de classe. Ela parecia mais uma adolescente do que uma criança de 6 anos, disse sua mãe.

Ela também era muito carinhosa. "Eu sabia que ela era minha última filha, mas... ela era tão carinhosa e eu percebia, tipo, a cada minuto que eu conseguia entender porque eu sabia... aqueles momentos são tão passageiros", disse Nguyen.

Olivia tinha um senso de humor sarcástico que ficou ainda mais apurado depois que ela entrou no ensino médio.

Olivia, de 11 anos, Edison, de 8 anos, e Colette, de 5 anos, vítimas de incêndio
Olivia, de 11 anos, Edison, de 8 anos, e Colette, de 5 anos, vítimas de incêndio que destruiu casa no subúrbio de Houston
Foto: Reprodução/GoFundMe

"Ela era uma criança, mas era tão madura e tão à frente de seus colegas", disse Nguyen sobre sua filha mais velha.

Ela adorava esquiar. Olivia e a mãe faziam rolos de canela para o Papai Noel todos os anos, com a ideia de que ele comia biscoitos suficientes nas outras casas e se lembraria de sua casa por causa de suas guloseimas.

O filho do meio, Edison, era um "menino doce" e um artista. Ele estava extremamente interessado em arte e arquitetura modernas.

"Ele tinha um profundo apreço por qualquer estética visual", disse Nguyen. "Tão gentil e atencioso... Você não pensaria que uma criança de 8 anos tem esse nível de profundidade."

Edison era moderadamente autista e muito ativo, disse Nguyen à CNN, acrescentando que começou a correr com sua mãe no ano passado.

"Você passava um minuto com ele e já sabia o quão carinhoso ele era e que tudo vinha de um lugar gentil."

A avó que deu tudo

A avó, Le, sempre cuidou deles, deixando-os e pegando-os na escola e nas atividades, para ajudar Nguyen a atingir seus objetivos profissionais trabalhando com finanças.

Refugiada do Vietnã, Le chegou ao Kansas sem nada, e Nguyen dá crédito à mãe por se sacrificar para lhe dar uma vida melhor.

“Meus pais fizeram de tudo pelos filhos. Como imigrantes, vieram para este país e o amor que me deram era dez vezes maior quando se tratava dos netos”, disse Nguyen.

"Acho que as avós são heróis não celebrados e histórias não contadas", acrescentou.

A mãe de Nguyen nunca tinha passado a noite em sua casa, mesmo durante a passagem do furacão Harvey.

“Eu simplesmente sinto que ela estava sempre arrastando as crianças por aí, então talvez esse fosse seu último tipo de coisa, sabe, direcionando as crianças para o céu,” disse Nguyen.

Honrando as crianças

Sabendo que essas perguntas podem nunca ser respondidas, Nguyen disse que seguirá em frente de uma forma que honre seus filhos e sua memória apropriadamente.

"Obviamente, lamento perdê-los", disse Nguyen à CNN. "Mas eu sinto que é uma perda trágica para o mundo que essas crianças não possam viver todo seu potencial e contribuir com a sociedade da maneira que deveriam."

Uma campanha no GoFundMe já recebeu mais de US$ 300.000 em doações. Ela disse que quer garantir que o dinheiro seja usado para construir uma organização ou fundação.

"Quero fazer algo duradouro para eles", disse Nguyen. "Eu realmente quero ser atenciosa sobre isso porque quero que seja duradouro e significativo... Devo isso ao apoio de todos e às suas intenções."

(Texto traduzido; leia o original em inglês)