Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Macron diz que ataques russos na Ucrânia são uma “mudança profunda” na guerra

    Presidente francês afirmou que, em seu retorno a Paris, se reunirá com seus conselheiros diplomáticos e militares para falar sobre os ataques

    Joseph Atamanda CNN

    em Paris

    Após uma série de ataques de mísseis russos na Ucrânia nesta segunda-feira (10), o presidente francês Emmanuel Macron condenou os “ataques deliberados” das forças de Moscou “contra civis”.

    “É uma mudança profunda na natureza desta guerra”, disse Macron a jornalistas em uma viagem à região francesa de Mayenne. Seus comentários foram confirmados à CNN pelo Palácio do Eliseu.

    Ele acrescentou que, em seu retorno a Paris, se reunirá com seus conselheiros diplomáticos e militares para falar sobre os ataques. O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden também condenou a ofensiva russa. Biden disse que os ataques com mísseis russos que atingiram Kiev e outras cidades da Ucrânia na segunda-feira “demonstram mais uma vez a total brutalidade da guerra ilegal de Putin contra o povo ucraniano”.

    Ofensiva

    A Rússia disparou mísseis de longo alcance contra cidades da Ucrânia durante horário de pico nesta segunda-feira de manhã, matando civis e desligando infraestruturas de energia e calor, no que o presidente Vladimir Putin declarou ser uma vingança por ataques ucranianos, que incluíram a destruição de uma ponte que liga o território russo à Crimeia.

    Nesta segunda (10), de acordo com o serviço de emergência do estado ucraniano, ao menos 11 civis morreram e 64 ficaram feridos.

    Os mísseis atingiram cruzamentos movimentados, parques e locais turísticos no centro de Kiev com uma intensidade nunca vista mesmo quando as forças russas tentaram capturar a capital no início da guerra.

    Explosões também foram relatadas em Lviv, Ternopil e Zhytomyr no oeste da Ucrânia, Dnipro e Kremenchuk no centro da Ucrânia , Zaporizhzhia no sul e Kharkiv no leste.

    O presidente russo Vladimir Putin fez um discurso televisionado no qual reivindicou os ataques contra “a infraestrutura de energia, militar e de comunicações da Ucrânia” após a destruição da ponte Kerch, na Crimeia.

    Retaliação

    O presidente da Rússia, Vladimir Putin, disse nesta segunda-feira que a Ucrânia realizou “atos terroristas” contra a Rússia e prometeu reagir com força se eles continuarem.

    Em um discurso televisionado, Putin disse que Moscou lançou ataques de mísseis de longo alcance contra a infraestrutura de energia, militar e de comunicações da Ucrânia nesta segunda-feira em retaliação por um ataque a uma ponte vital que liga a Rússia à península anexada da Crimeia, no fim de semana.

    “É óbvio que os serviços secretos ucranianos ordenaram, organizaram e executaram o ataque terrorista destinado a destruir a infraestrutura civil crítica da Rússia”, disse Putin sobre a explosão da ponte.

    Autoridades ucranianas celebraram após a explosão, mas Kiev não reivindicou a responsabilidade.

    Cidades em toda a Ucrânia ficaram sem energia ou água e várias foram mortas em ataques com mísseis da Rússia em mais de uma dúzia de cidades ucranianas na manhã de segunda-feira.

    Putin disse que a Rússia responderá “duramente” a quaisquer novos ataques da Ucrânia.

    “Se continuarem as tentativas de realizar atos terroristas em nosso território, as respostas da Rússia serão duras e em sua escala corresponderão ao nível de ameaças criadas para a Federação Russa. Ninguém deve ter dúvidas sobre isso”, disse Putin.

    (Com informações de Kevin Liptak, da CNN, e de Jonathan Landay e Max Hunder, da Reuters)

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original