Número de mortos em Cabul aumenta para mais de 170, diz autoridade afegã

Exército britânico deve encerrar as operações nas próximas horas e os EUA também pretendem terminar a retirada antes do prazo final de 31 de agosto

Pessoas feridas são levadas a hospital de Cabul após ataque a aeroporto
Pessoas feridas são levadas a hospital de Cabul após ataque a aeroporto 26/08/2021REUTERS TV/1TV/Divulgação via REUTERS

João de Marida CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

O número de mortos no atentado terrorista nos arredores do aeroporto de Cabul aumentou para 170, nesta sexta-feira (27), segundo uma autoridade do Ministério da Saúde Pública do Afeganistão relatou à CNN Internacional. Conforme o oficial, o número de feridos passa de 200, incluindo guardas do Talibã.

Depois das duas explosões, o governo americano, por meio do Pentágono, confirmou que 13 militares americanos morreram e 18 ficaram feridos no ataque perto do aeroporto no Afeganistão.

Mais cedo, o chanceler do Reino Unido, Dominic Raab, afirmou que entre as vítimas estão dois britânicos e o filho de um terceiro britânico.

“Eram pessoas inocentes e é uma tragédia que, ao tentarem trazer seus entes queridos para a segurança no Reino Unido, tenham sido assassinados por terroristas covardes”, diz trecho do comunicado.

Nesta sexta-feira (27), o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, disse que planeja entrar em contato com as famílias dos militares mortos no ataque terrorista. A informação foi dada por um alto funcionário do governo dos EUA à CNN Internacional.

Segundo o funcionário, o plano para contatar as famílias já está em andamento. Porém, ele afirma que a Casa Branca trabalha para primeiro garantir que os parentes próximos sejam notificados sobre a morte.

“Outro ataque terrorista em Cabul é provável”

O exército britânico deve encerrar as operações nas próximas horas desta sexta-feira (27). Os EUA também pretendem terminar a retirada antes do prazo final estabelecido pelo Talibã, em 31 de agosto.

O presidente Biden e o vice-presidente Kamala Harris foram avisados ​​por sua equipe de segurança nacional na manhã desta sexta-fira (27) “que outro ataque terrorista em Cabul é provável”, de acordo com um funcionário da Casa Branca. Eles participavam de uma reunião para discutir os próximos passos na missão no Afeganistão.

Segundo o funcionário, os EUA estão tomando “medidas de proteção de força máxima no aeroporto de Cabul”.

“Os próximos dias desta missão serão o período mais perigoso até agora. O presidente reafirmou com os comandantes sua aprovação de todas as autoridades necessárias para conduzir a operação e proteger nossas tropas, e todos informaram que possuem os recursos que acreditam eles precisam fazer isso de forma eficaz”, disse.

Autoria do ataque

Horas após os ataques, o Estado Islâmico K, conhecido na sigla Isis-K, assumiu a responsabilidade, disse a Agência de Notícias Amaq, ligada ao Estado Islâmico, em seu canal no Telegram.

Isis-K é um grupo autointitulado terrorista que surgiu pela primeira vez na região chamada Khorasan (entre o Afeganistão e Paquistão), em 2015, segundo o professor e mestre em relações internacionais Tanguy Baghdadi.

Em entrevista à CNN, Baghdadi conta que a facção foi inspirada no Estado Islâmico no Iraque e no Levante, conhecido pela sigla Isis, criado em 2013. Ela foi criada após morte de Osama Bin Laden, ex-líder da Al-Qaeda, em 2011.

O porta-voz do Talibã, Zabihullah Mujahid, afirmou que o grupo islâmico condena veementemente os ataques ao aeroporto.

“O Emirado Islâmico do Afeganistão está prestando muita atenção à segurança e proteção de seu povo, e os círculos malignos serão estritamente interrompidos”, escreveu no Twitter.

Veja a área onde ocorreram os ataques:

(Com informações da CNN Internacional e Kaitlan Collins, da CNN)

Mais Recentes da CNN