Em nova fase de flexibilização, Rio libera eventos abertos para até 500 pessoas

Cidade também autorizou presença de 50% da capacidade de público em estádios e ginásios mediante apresentação de comprovante de vacinação

Pessoas caminham no centro do Rio de Janeiro; cidade liberou eventos abertos para até 500 pessoas
Pessoas caminham no centro do Rio de Janeiro; cidade liberou eventos abertos para até 500 pessoas Tomaz Silva - 28.jun.2021/Agência Brasil

Stéfano Sallesda CNN

No Rio de Janeiro

Ouvir notícia

Começa nesta terça-feira (21) a nova fase de flexibilização da cidade do Rio de Janeiro. A partir de agora, estão liberados eventos para até 500 pessoas em locais abertos. No entanto, continuam valendo as determinações de distanciamento de pelo menos um metro entre mesas e cadeiras, e a recomendação de que não sejam formadas filas e aglomerações nos acessos.

Também está permitida a presença de público em estádios e ginásios esportivos, restrita a 50% da capacidade, e exclusivamente para pessoas com esquema vacinal completo. A norma, no entanto, não tem validade automática: depende da organização de cada competição e entidade que realizada as disputas esportivas.

As medidas foram publicadas no Diário Oficial do Município na última sexta-feira (17). Boates e salões de dança ainda estão impedidos de funcionar e a liberação só vai ocorrer depois que pelo menos 65% dos habitantes tiverem esquema vacinal completo. Quando o índice for alcançado, os estabelecimentos poderão reabrir, com metade da capacidade total de público.

O distanciamento social em aulas coletivas em academias e piscinas está dispensado, mas os participantes precisam, obrigatoriamente, apresentar comprovante de vacinação para acessar academias, escolas esportivas e clubes. O documento pode ser obtido gratuitamente pela plataforma ConecteSus.

Redução do intervalo da vacina da Pfizer

A partir desta terça-feira (21), o intervalo de aplicação da segunda dose da vacina da Pfizer será reduzido para pessoas com mais de 50 anos. Passará de três meses para 21 dias, de acordo com determinação da Secretaria Municipal de Saúde. Na prática, como esse público já foi contemplado no calendário vacinal, a medida valerá apenas para os atrasados, um contingente estimado pelo município em cerca de 23 mil pessoas.

A cidade do Rio de Janeiro retomará na quarta-feira (22) a vacinação de adolescentes por faixa etária, com as meninas de 13 anos, que receberão doses do imunizante da farmacêutica norte-americana, único autorizado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para o grupo etário. O Rio é uma das 20 capitais do país que decidiram não suspender a imunização de jovens entre 12 e 17 anos.

Com base no posicionamento de capitais como o Rio de Janeiro, o Consórcio Conectar, liderado pela Frente Nacional dos Prefeitos (FNP), pediu ao Ministério da Saúde que revise a recomendação para que a imunização dos adolescentes fosse suspensa. O pedido faz parte de uma onda de manifestações de entidades científicas e da sociedade civil.

Membros da Câmara Técnica Assessora de Imunização Covid-19 (CTAI), que apoia o Ministério da Saúde no Plano Nacional de Imunizações (PNI), também cobram que a determinação seja revista. Na reunião da última sexta-feira (17), todos os especialistas do órgão divergiram da decisão e alguns chegaram a prometer entregar o cargo se ela não fosse modificada.

Mais Recentes da CNN