Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Queda de avião mata 12 pessoas no Acre: o que se sabe sobre o acidente

    Acidente aconteceu por volta das 7h20 de domingo (29), pouco depois da decolagem do avião do Aeroporto de Rio Branco para o município de Envira, no Amazonas

    Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Acre

    Da CNN

    Um avião de pequeno porte caiu próximo ao Aeroporto de Rio Branco, no Acre, no domingo (29). Os 12 ocupantes da aeronave morreram.

    O acidente aconteceu por volta das 7h21 da manhã, pouco depois da decolagem do avião, que tinha como destino o município de Envira, no Amazonas.

    A aeronave de modelo Caravan e matrícula PT-MEE pertencia à empresa ART Táxi Aéreo. Além do piloto e do copiloto, estavam a bordo nove passageiros adultos e um bebê.

    Em nota, a empresa ART Táxi Aéreo disse que está prestando “total e exclusiva colaboração” com as autoridades responsáveis pela investigação e ressaltou que a aeronave “era certificada para o transporte remunerado de passageiros (operações para táxi aéreo) e estava com todas as rotinas de manutenção em conformidade com as normas e regulamentos da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac)”.

    A ART Taxi Aéreo acrescentou que a tripulação “era devidamente habilitada pela Anac, com todos os respectivos treinamentos em dia”.

    Causa do acidente ainda é investigada

    As causas do acidente permanecem sob investigação pelas agências competentes.

    A Força Aérea Brasileira confirmou o acionamento recebido pelo Sétimo Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa VII), órgão regional do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) localizado em Manaus (AM).

    Segundo a Força Aérea, foi feita a “Ação Inicial” da ocorrência, na qual “são utilizadas técnicas específicas, conduzidas por pessoal qualificado e credenciado que realiza a coleta e confirmação de dados, a preservação de indícios, a verificação inicial de danos causados à aeronave, ou pela aeronave, e o levantamento de outras informações necessárias ao processo de investigação”.

    “A conclusão das investigações terá o menor prazo possível, dependendo sempre da complexidade de cada ocorrência e, ainda, da necessidade de descobrir os possíveis fatores contribuintes”, acrescentou a nota.

    O Cenipa tem como objetivo investigar ocorrências aeronáuticas para prevenir que acidentes semelhantes ocorram.

    VÍDEO – Avião de pequeno porte cai no Acre e deixa 12 mortos

    Quem são as vítimas?

    De acordo com a Defesa Civil do município de Envira – cidade para a qual o voo tinha destino –, havia na aeronave 6 homens, 3 mulheres e um bebê de um ano e sete meses, além do piloto e do copiloto.

    A queda da aeronave causou um incêndio e acredita-se que todos tenham morrido carbonizados pelo fogo, segundo o governo do Acre.

    Queda de avião no acre inicia incêndio e deixa 12 mortos. / Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Acre

    Quatro das vítimas (duas mulheres e dois homens) eram de Envira, e os outros seis passageiros (quatro homens, uma mulher e o bebê) eram de Eirunepé, outra pequena cidade no Amazonas.

    A prefeitura de Envira decretou luto oficial no município e confirmou o nome dos quatro mortos residentes na cidade:

    • Antônia Elizângela Gomes Bonfim
    • Antonio Cleudo Epifanio Mattos
    • Edineia Teixeira Mendes
    • José Marcos Epifanio Mattos

    A identidade do copiloto do avião, Kleiton Lima Almeida, de 39 anos, também foi confirmada por uma familiar à CNN.

    Esta mesma familiar disse que parte dos passageiros estava fazendo a viagem para receber tratamento médico. O tipo de tratamento não foi informado.

    Segundo o governo estadual do Acre, o Departamento de Polícia Técnica Científica da Polícia Civil trabalha na identificação dos corpos e assistência às famílias das vítimas.

    “As equipes no Instituto Médico Legal (IML) estão realizando exames cadavéricos e coletando amostras de material biológico para a identificação por meio de análise de DNA. Os parentes das vítimas também estão sendo contatados para a coleta de material genético, um passo fundamental na tentativa de identificar as vítimas. Esse processo meticuloso, embora demorado, visa trazer um pouco de alívio às famílias enlutadas, que aguardam notícias sobre seus entes queridos”, explicou o diretor do departamento, Mário Sandro Martins.

    Em nota, o governo acreano pontuou que a conclusão do trabalho dos peritos não possui prazo definido, mas “todos os esforços estão sendo empregados para agilizar a coleta de amostras e liberar os corpos para as famílias o mais rapidamente possível”.

    *Publicado por Fernanda Pinotti, com informações de Dayres Vitoria e Vinícius Bernardes, da CNN