General Augusto Heleno testa positivo para coronavírus e aguarda contraprova


Da CNN Brasil, em São Paulo*
18 de março de 2020 às 09:27 | Atualizado 18 de março de 2020 às 10:55

O ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, testou positivo para o novo coronavírus. Ele confirmou a informação, por meio do perfil que mantém no Twitter, na manhã desta quarta-feira (18).

“Informo que o resultado do meu segundo exame, realizado no HFA, acusou positivo. Aguardo  a contraprova da FioCruz. Estou sem febre e não apresento qualquer dos sintomas relacionados ao COVID-19. Estou isolado, em casa, e não atenderei telefonemas”, tuitou o general de 72 anos.

Pouco depois de Heleno informar sobre o exame positivo, o Palácio do Planalto divulgou nota sobre o assunto. “Informamos que o resultado do segundo exame do General Heleno, realizado no HFA [Hospital das Forças Armadas], acusou positivo. O Ministro aguarda a contraprova da FioCruz. Está sem febre e não apresenta qualquer sintoma relacionado ao COVID -19. Está isolado, em casa, e não atenderá ao telefone”, diz o texto.

O ministro fez parte da comitiva que acompanhou o presidente Jair Bolsonaro aos Estados Unidos. Até o momento, sem considerar o caso do general Augusto Heleno, ao menos 15 integrantes da comitiva que viajou com o presidente aos Estados Unidos tiveram resultado positivo para o COVID-19.

O primeiro caso envolvendo a comitiva presidencial foi o do secretário de Comunicação da Presidência Fabio Wajngarten. Ele voltou ao Brasil na madrugada da quarta-feira (11), no mesmo avião do presidente e de Heleno.

Além do ministro, outros quatro funcionários do GSI que integraram a equipe que acompanhou Bolsonaro na viagem também tiveram diagnóstico positivo para a doença.

Assista e leia também:

Coronavírus: ibuprofeno e cortisona não são recomendados para sintomas 

Por que você não deve fazer álcool em gel em casa

Mesmo com o resultado negativo do primeiro exame, a recomendação médica era para que os integrantes da comitiva ficassem em isolamento por mais sete dias até a realização do novo exame.

O próprio Bolsonaro, no entanto, ignorou a orientação e cumpriu agendas diárias desde sexta-feira. No domingo, chegou cumprimentar manifestantes na frente do Planalto.

Heleno também não ficou em isolamento total e despachou do gabinete que ocupa no Palácio do Planalto, mesmo após a confirmação de que teve contato com alguém infectado.

O ministro faz parte do grupo de risco da doença por causa da idade. A taxa de letalidade do vírus é considerada baixa (entre 2% e 3%, segundo a OMS), mas o número sobe para 8% em pacientes de 70 a 79 anos e chega a 15% em maiores de 80 anos, conforme estudo do Centro de Controle e Prevenção de Doenças da China.

Relatório da Organização Mundial de Saúde (OMS), com base em dados de pacientes chineses, apontou mortalidade de quase 22%.

O general Augusto Heleno

O general Augusto Heleno, chefe do Gabinete de Segurança Institucional (07.nov.2018)

Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Medidas de prevenção

O secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo, ressaltou nesta quarta-feira (18) a importância de o primeiro-escalão do governo seguir as medidas de prevenção divulgadas pelo ministério para evitar o contágio pelo novo coronavírus, após o diagnóstico de que o ministro Augusto Heleno está com COVID-19.

O número 2 da Saúde, no entanto, descartou a necessidade de qualquer cuidado a mais entre os ministros que estiveram com Heleno. “As recomendações [aos ministros] são as mesmas [que] para toda a população”.

Gabbardo conversou rapidamente com a imprensa ao chegar no Palácio do Planalto para a reunião do Comitê de Crise que discute diariamente as ações do governo em diversos ministérios no enfrentamento conjunto ao novo coronavírus.

O secretário afirmou que as reuniões do gabinete de crise passarão a ser realizadas exclusivamente por vídeoconferência a partir de quinta-feira (19).

“A reunião de hoje já será por videoconferência, vários secretários não estarão aqui. E as próximas serão todas por videoconferência.”

Outros testes

Na terça-feira (17), o presidente Jair Bolsonaro e os ministros Luiz Ramos, da Secretaria de Governo, Augusto Heleno, do GSI (Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República), e Ernesto Araújo, das Relações Exteriores, foram submetidos a um segundo teste para o novo coronavírus.

Além deles, também passou por exame, o secretário de Assuntos Estratégicos, Almirante Flávio Rocha. Todos saíram da sala da equipe médica utilizando máscaras.

Bolsonaro foi ao Twitter, na noite de terça, para informar que o exame que fez deu negativo. “Informo que meu 2° teste para COVID-19 deu NEGATIVO. Boa noite a todos”, escreveu o presidente.  (Com informações de Rudá Moreira, da CNN Brasil, em Brasília, e de Estadão Conteúdo)