Brasil terá que recriar laços com democratas se Biden vencer, diz especialista

Carlos Gustavo Poggio, doutor em relações internacionais, diz que país fez escolha estratégica ao se aproximar mais de Donald Trump

Murillo Ferrari, da CNN, em São Paulo
29 de setembro de 2020 às 10:25 | Atualizado 29 de setembro de 2020 às 12:07

A disputa entre o democrata Joe Biden e o republicano Donald Trump pela presidência dos Estados Unidos pode ter importantes reflexos para o governo brasileiro em razão da aproximação do presidente Jair Bolsonaro com o líder republicano, segundo análise de Carlos Gustavo Poggio, doutor em relações internacionais e especialista em política americana, em entrevista à CNN.

“O Brasil fez uma escolha estratégica de aproximação com Donald Trump – mais do que, necessariamente, com os EUA. Isso cria uma série de dificuldades para o governo caso Trump perca as eleições. A chapa Biden-Harris, pela primeira vez na história, é muito crítica a um presidente brasileiro”, afirmou.

Assista e leia também:
Cinco pontos para ficar atento hoje no debate entre Trump e Biden
CNN Brasil exibe 1º debate entre Trump e Biden; portal UOL retransmite
Eleição nos EUA: Conheça as regras do 1º debate entre Trump e Biden

De acordo com Poggio, os dois políticos democratas já fizeram declarações criticando Bolsonaro, o que pode gerar desgaste no curto prazo entre os países e dificultar, por exemplo, a aprovação de acordos comerciais.

“O Brasil vai ter que, de certa forma, reconstruir pontes com os democratas no caso de uma vitória de Joe Biden. Talvez o governo brasileiro precise adotar uma postura mais pragmática neste sentido.”

Carlos Gustavo Poggio, doutor em relações internacionais, em entrevista à CNN
Foto: CNN (29.set.2020)

Primeiro debate presidencial

O especialista afirmou ainda que existe um certo mito para o debate presidencial desta terça-feira (29) de que Trump seria um grande orador e que Biden estaria senil.

“Gostaria de lembrar dos debates de 2016 entre Trump e Hillary Clinton. Ela foi considerada vencedora dos três. Ainda assim, o Trump venceu a eleição, o que nos mostra duas coisas: Trump não é o grande debatedor que se pensa e debates não costumam ter muita influência em eleição”, opinou.

Ele disse que, neste ano, o debate pode ter mais importância porque parte da estratégia do Partido Democrata tem sido poupar Biden o máximo possível para que a eleição seja focada na rejeição a Trump.

“Este debate talvez seja mais importante porque tem uma tensão muito grande e é a primeira vez que Joe Biden vai se expor ao público – ele quase não dá entrevista coletiva.”

A CNN Brasil e a CNN americana irão transmitir simultaneamente o debate, a partir das 22 horas (horário de Brasília). Em parceria com a CNN Brasil, o portal UOL retransmitirá o evento.

Será possível acompanhar o debate pela CNN na TV, pelo canal 577 nas maiores operadoras de TV paga: Claro/NET, Sky, Oi e Vivo Fibra. Para outras operadoras, consulte a lista oficial com a numeração.

Assista e leia também:
Por que liderança de Biden nas pesquisas é diferente da de Hillary em 2016
De Kennedy-Nixon a Trump-Biden: 60 anos de debates presidenciais nos EUA
O que você precisa saber sobre os debates presidenciais entre Biden e Trump

Também será possível ainda assistir ao vivo pelo site da CNN Brasil e em seus perfis no Facebook e no Twitter

O evento será realizado na cidade de Cleveland, em Ohio. A eleição presidencial americana está marcada para 3 de novembro.

Trump e Biden se enfrentam no primeiro debate da eleição americana
Foto: CNN