Quatro das cinco maiores cidades do RJ já não têm mais vacinas para 1ª dose

Estoque para primeira aplicação acabou no Rio de Janeiro, São Gonçalo, Duque de Caxias e Niterói

Stéfano Salles, da CNN, no Rio de Janeiro
22 de fevereiro de 2021 às 12:59 | Atualizado 22 de fevereiro de 2021 às 13:00
Enfermeira aplica dose de vacina contra o coronavírus
Enfermeira aplica dose de vacina contra o coronavírus
Foto: Johanna Geron/Reuters

Não há mais vacinas para aplicação da primeira dose contra o coronavírus em quatro das cinco cidades mais populosas do Rio de Janeiro. Além de Rio de Janeiro, São Gonçalo e Duque de Caxias, nesta ordem, os três municípios mais populosos do estado, também não há mais doses em Niterói, o quinto mais populoso, todos na Região Metropolitana.  

Entre as cinco mais populosas, só há imunizantes em Nova Iguaçu. Além dessas cidades, a CNN apurou que também não há mais imunização destinada à primeira dose em São João de Meriti, cidade de 500 mil habitantes, na Baixada Fluminense, e em Nova Friburgo, na Região Serrana. Em todos esses casos, a informação foi confirmada com os próprios municípios. 

 

Nesta segunda-feira, a Secretaria de Estado de Saúde distribuiu para 88 municípios cerca de 193 mil doses de Coronavac, na Central Geral de Abastecimento (CGA), no Barreto, em Niterói. Deste total, 173 mil são relativas às doses guardadas pelo estado para garantir a segunda imunização de quem já recebeu a primeira, e outros 20 mil faziam parte da reserva técnica do estado. Estas doses não são destinadas, portanto, à aplicação da primeira dose.

A secretaria fluminense de Saúde tem a expectativa de receber nesta terça-feira mais doses de vacina, mas a informação ainda não foi confirmada à pasta pelo Ministério da Saúde. Nesta segunda-feira, a Fundação Oswaldo Cruz confirmou ao analista Leandro Resende que espera receber ainda essa semana uma carga de dois milhões de doses prontas da vacina de Oxford, oriundas do Instituto Serum, da Índia.