Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    O que se sabe sobre os casos confirmados da variante Ômicron no Brasil

    Autoridades de saúde realizam o monitoramento contínuo do novo coronavírus no país

    Lucas RochaTiago Tortellada CNN

    São Paulo

    A variante Ômicron foi identificada em países da África em novembro de 2021. A cepa foi relatada pela primeira vez à Organização Mundial da Saúde (OMS) pela África do Sul no dia 24 de novembro. No dia 26 de novembro, a OMS classificou a linhagem como variante de preocupação.

    A definição reúne as linhagens do novo coronavírus que apresentam alterações que podem afetar as propriedades do vírus, com uma ou mais implicações, incluindo o aumento da capacidade de transmissão ou da gravidade da doença, além de impactos para a eficácia das vacinas, medicamentos e métodos de diagnóstico.

    A OMS orientou que os países devem melhorar a vigilância e os esforços para a realização do sequenciamento genômico do vírus, o que permite compreender melhor as variantes circulantes.

    Uma das preocupações em relação à linhagem é o grande número de mutações, que podem conferir vantagens ao vírus, como uma maior transmissibilidade e o escape do sistema imunológico.

    Casos confirmados no Brasil

    Atualmente, 11 casos da variante Ômicron foram confirmados no Brasil, sendo cinco em São Paulo, dois no Distrito Federal, dois no Rio Grande do Sul e dois em Goiás. Todos os pacientes seguem monitorados pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (CIEVS) de cada estado.

    Os primeiros casos da variante Ômicron do novo coronavírus no Brasil foram confirmados no dia 30 de novembro pelo Instituto Adolfo Lutz, de São Paulo. Os dois casos são de um homem, de 41 anos, e de uma mulher, de 37 anos, que vieram da África do Sul.


    A confirmação foi feita a partir da técnica de sequenciamento genômico realizada pelo laboratório do Hospital Israelita Albert Einstein e validada pelo Adolfo Lutz, referência em Covid-19.

    O terceiro caso foi confirmado em São Paulo no dia 1º de dezembro. De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde, um passageiro vindo da Etiópia, que desembarcou no Aeroporto de Guarulhos no dia 27 de novembro, testou positivo para a nova variante. O quarto caso foi registrado em 11 de dezembro, um homem de 67 anos que não viajou recentemente para outro país.

    Em 12 de dezembro, uma mulher de 40 anos foi diagnosticada com a nova cepa no interior de SP, sendo o 5° caso do estado. Todos os pacientes em São Paulo tinham vacinação completa e relato de sintomas leves ou assintomáticos.

    No dia 2 de dezembro, foram identificados outros dois casos de Covid-19 associados à variante Ômicron, no Distrito Federal. De acordo com a Secretaria de Saúde do DF, os dois homens chegaram ao Brasil vindos da África do Sul no dia 27 de novembro.

    Em 03 de dezembro, o Rio Grande do Sul confirmou o primeiro caso da Ômicron no estado, uma mulher residente em Santa Cruz do Sul, que voltou de viagem da África do Sul. Ela recebeu duas doses de vacina contra a covid-19, e apresentou febre. O outro caso foi confirmado em 10 de dezembro. Foi uma pessoa com estadia em Porto Alegre e que veio dos Estados Unidos. Ela recebeu uma dose da vacina Moderna, que precisa de duas aplicaçãoes, e não está disponível no Brasil.

    Goiás identificou dois casos da variante em 12 de dezembro. As duas pessoas tiveram contato com um casal de missionários vindos de Luanda, capital da Angola. A identificação das infecções foi em Aparecida de Goiânia.