5 iguarias típicas amadas pelos uruguaios e onde comê-las em Montevidéu

Doces, carne, massa e sanduíche estão entre preparos tradicionais do país vizinho ao Brasil que podem ser encontradas em endereços pela capital

Assada no forno, fainá é massa fininha que leva farinha de grão de bico, água, azeite e sal; na foto, exemplar da Vermutería Flores
Assada no forno, fainá é massa fininha que leva farinha de grão de bico, água, azeite e sal; na foto, exemplar da Vermutería Flores Giuliana Nogueira

Giuliana Nogueiracolaboração para o Viagem & Gastronomia Montevidéu, Uruguai

Faz parte de qualquer boa viagem provar as iguarias típicas do lugar onde se está, mas nem sempre o típico se traduz em qualidade. Assim como no sudeste do Brasil temos coxinhas e pães de queijo deliciosos, as versões gordurosas e murchas dessas iguarias também podem ser realidade frequente.

Volta e meia recebo mensagens de brasileiros que viajam para o Uruguai no afã de provar um chivito. O famoso x-tudão uruguaio é a mais famosa das comidas típicas do país, deixando de fora os óbvios como empanada e doce de leite. Também não é incomum a decepção ao provar o famoso sanduíche que, me desculpem os uruguaios, ao final de tudo é um sanduiche.

No entanto, a busca pelo tradicional também pode ser recompensadora, com versões bem executadas que buscam levar o popular à perfeição.

Para ajudar nessa descoberta de sabores regionais, preparei uma lista com cinco comidas típicas uruguaias nas melhores versões que encontrei pela capital do país: 

  • Chivito

Chivito, o mais tradicional sanduíche uruguaio
Chivito é o mais tradicional sanduíche uruguaio; na foto, exemplar do República Rotisería / Divulgação/República Rotisería

O típico lanche uruguaio é tão famoso por lá que virou até livro contando sua história. Em “Chivito”, de Alejandro Sequeira e Armando Olivera, você encontra receitas e a origem dos mais famosos chivitos do país.

O prato criado nos anos 1940 em Punta del Este é encontrado em todas as partes do Uruguai e sua composição varia de local para local, mas basicamente não pode faltar: bife, alface, tomate e, claro, pão. Do minimalista até os exagerados, o chivito ainda pode levar queijo, presunto, bacon, ovo, azeitonas, vinagrete, batata frita e até salada russa – daí para a frente não há limites.

Inclusive, muitos lugares capricham na porção de batatas fritas e no tamanho do pão para deixar a refeição ainda mais gigante. Até mesmo o chef Anthony Bourdain chegou a fazer matérias sobre o sanduíche, mostrando a versão do Bar Arocena e ajudando ainda mais na fama do lugar.

Mas se eu tiver que investir em um chivito, a minha versão predileta é definitivamente o do República Rotisería, servido apenas às quintas-feiras. O sanduíche leva lomo (um corte macio bovino), pancetta, queijo danbo, alface, tomate, cebola, aioli e ovo. Tudo em perfeita harmonia em um gostoso pãozinho.

Bar Arocena: Av. Arocena 1564, Montevidéu / Tel.: +598 2600 0483 / Horário de funcionamento: aberto todos os dias, 24h. 

República Rotisería: Acevedo Díaz 1269, Montevidéu / Tel.: +598 2401 7547 / Horário de funcionamento: terça a sábado, das 9h às 20h.

  • Asado

Asado de tira do restaurante La Tira, em Montevidéu
Asado do La Tira, casa frequentada em sua maioria por uruguaios / Giuliana Nogueira

Assim mesmo, com um “S” só, como na grafia hispânica. Quando ouvir “um asado” são grandes as chances de ser servido um Asado de Tira, corte transversal da costela do boi, de textura mais firme, mas muito saboroso. É um dos meus cortes favoritos e que acompanha muito bem o vinho elaborado a partir da uva mais famosa do país, a tannat.

Quando se trata de parrilla, existem em todas as gamas de custos e qualidades. A La Pulpería é frequentado por turistas e locais. A casa acabou de passar por uma bela reforma em sua estrutura e serve um excelente asado de tira de alta qualidade. Já a La Tira é um local bem simples e econômico, uma experiência rústica frequentada basicamente por uruguaios que vão para comer o famoso corte de carne sentados em mesinhas na rua.

La Pulpería: Lagunillas 448, Montevidéu / Tel.: +598 2710 8657 / Horário de funcionamento: terça a sábado, das 19h à 0h; domingo, das 12h às 16h. 

La Tira Parrillita Palermo: Magallanes 1104, Montevidéu / Horário de funcionamento: quinta, das 20h à 0h; sexta, das 12h30 às 15h30 e das 20h à 0h; sábado e domingo, das 12h às 17h30. 

  • Fainá

Fainá da Atrevida Pizzeria, em Punta del Este
Fainá da Atrevida Pizzeria, em Punta del Este / Divulgação/Atrevida Pizzeria

A fainá é herança dos imigrantes genoveses que desembarcaram no Uruguai. A versão uruguaia lembra bastante a farinata, muito típica em Génova. Uma massa fininha que leva basicamente farinha de grão de bico, água, azeite e sal, assada no forno.

Amada pelos uruguaios, é servida em vários locais mais tradicionais, bares e pizzarias. Pode ser provada na sua versão mais clássica, bem crocante e apenas com um pouquinho de pimenta preta no Bar Tasende, um local que já passa de seus 90 anos ali próximo ao Teatro Solis.

Na Vermutería Flores, a fainá pode vir com queijo e acompanhar bem os vermutes da casa. Já em Punta del Este, a Atrevida Pizzeria tem uma versão mais audaciosa servindo um vistoso ovo frito de gema mole por cima e cibollete.

Bar Tasende: Ciudadela 1300, Montevidéu / Tel: +598 2900-3504 / Horário de funcionamento: segunda a sábado, das 10h à 0h. 

Vermutería Flores: Miñones 455, esquina com Joaquín Nuñez, Montevidéu / Tel.: +598 9398-2211 /  Horário de funcionamento: terça e quarta, das 18h30 às 2h; quinta e sábado, das 18h30 às 2h30. 

Atrevida Pizzeria: Calle 8 e 9, próximo ao farol / Tel.: +598 4243 6038 / Horário de funcionamento: todos os dias, das 12h à 0h. 

  • Chajá

Chajá, típico doce uruguaio
Chajá é espécie de bolo coberto com merengue, creme e pêssegos, podendo levar doce de leite / Divulgação/Chajá Bistró

Muitas sobremesas uruguaias, como o flan de doce de leite, o alfajor e a panqueca de doce de leite, são disputadas também pelos argentinos, mas se tem uma sobremesa que certamente o Uruguai pode chamar de sua é o Chajá; uma espécie de bolo coberto com merengue, creme e pêssegos, que na maioria das vezes leva também doce de leite em uma das camadas.

Embora um bocado doce e rústico, o chajá não poderia deixar de figurar nesta lista. A sobremesa criada no norte do Uruguai, em Paysandú, pode ser provada por todo o país, mas quem está em Montevidéu pode encontrar a versão mais famosa na confeitaria Chajá Bistró.

Chajá Bistró: Blvr. 26 de Marzo 3516, Montevidéu / Tel.: +598 2622 1003 / Horário de funcionamento: segunda a sexta, das 9h30 às 18h; sábado, das 9h30 às 13h. 

  • Masini

Masini é típico doce uruguaio
Masini leva duas fatias de pionono e é entremeada de chantilly e coberta com uma camada de gema queimada / Divulgação/Confeitaría Carrera

A tradicional Confeitaría Carrera é a responsável por outra sobremesa amada pelos uruguaios. Um pouco menos adocicada que o Chajá, o Masini leva duas fatias de pionono (uma espécie de pão de ló bem fininho e leve) entremeada de chantilly e coberta com uma camada de gema queimada, mais leve e perfeita para quem quer algo tradicional, porém menos açucarada.

Confeitaría Carrera: Magallanes 1434, esquina com Colonia, Montevidéu / Tel.: +598 2400 2859 / Horário de funcionamento: segunda a sábado, das 9h às 20h; domingo, das 9h às 14h.

*Os textos publicados pelos Insiders e Colunistas não refletem, necessariamente, a opinião do CNN Viagem & Gastronomia.

Sobre Giuliana Nogueira

Giuliana Nogueira / Acervo pessoal

Giuliana Nogueira é brasileira, psicóloga, fotógrafa e assessora de comunicação. Não é enóloga nem sommelierè, mas é enófila, apaixonada especialmente por vinhos uruguaios e pelo Uruguai. Mantém o Instragram @Instatannat, falando mais de vinhos uruguaios que os próprios uruguaios. Sempre que pode viaja até a terra dos nossos vizinhos, que sabem receber muito bem.