Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Estados Unidos preparam sanções adicionais contra a Rússia para esta terça-feira

    Novas medidas virão em coordenação com os aliados dos americanos no mundo

    Renan de Souzada CNN

    São Paulo

    Os Estados Unidos estão coordenando com os aliados novas sanções contra a Rússia depois que Moscou reconheceu a independência de duas regiões separatistas no leste da Ucrânia. O movimento veio acompanhado do envio de “tropas para manutenção da paz” para a região.

    As novas sanções serão anunciadas nesta terça-feira (22), de acordo com informações de funcionários do governo americano. Mais tarde, a informação foi confirmada pela embaixadora dos EUA na ONU, Linda Thomas-Greenfield.

    “Amanhã, os Estados Unidos vão impor sanções contra a Rússia por essa clara violação da lei internacional e da soberania e integridade dos territórios da Ucrânia”, disse ela aos repórteres depois da reunião de emergência no Conselho de Segurança da ONU realizada na noite desta segunda-feira (21).

    Os detalhes dessa nova rodada de sanções ou controle de exportações ainda são desconhecidos. Porém, segundo um porta-voz da Casa Branca, as medidas seriam diretas contra a Rússia. Essa informação corrobora com a fala de líderes europeus.

    A União Europeia informou que vai reagir com sanções “contra aqueles envolvidos nesse ato ilegal”. Em uma ligação com o presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskyy, o primeiro-ministro britânico Boris Johnson também deixou claro que sanções serão impostas contra a Rússia. “O Reino Unido já preparou sanções contra aqueles que são cúmplices na violação da integridade territorial da Ucrânia e essas medidas entram em vigor amanhã (22)”, disse o premiê.

    Nas primeiras horas desta terça-feira (22) na Ásia, o primeiro-ministro do Japão – um importante aliado dos Estados Unidos – disse que o país está pronto para se juntar ao pacote de sanções. “Nós iremos coordenar e trabalhar com o G7 e a comunidade internacional para responder, incluindo com sanções”, afirmou Fumio Kishida.

    O governo Biden vem preparando um pacote inicial de sanções contra a Rússia que inclui impedir que instituições financeiras americanas processem transações de grandes bancos russos.

    No nível mais elevado, as sanções incluiriam também alguns indivíduos russos e companhias, os colocando em uma lista para exclusão do sistema bancário americano. Além disso, o comércio com americanos seria proibido e os sancionados teriam os bens congelados nos Estados Unidos.

    Mais cedo, um funcionário da Casa Branca disse que o movimento de Vladimir Putin não desencadeou o grande pacote de sanções que os EUA e aliados têm trabalhado caso a Rússia invada a Ucrânia. Esse mecanismo não teria sido ainda acionado porque a Rússia já tinha tropas na região separatista do leste da Ucrânia.

    Nesta segunda-feira (21), a Casa Branca anunciou sanções menos severas e mais específicas depois das ações de Vladimir Putin. O presidente Joe Biden emitiu uma ordem executiva “proibindo novos investimentos, comércio e financiamento de americanos” para as repúblicas autoproclamadas de Donetsk e Lugansk, no leste da Ucrânia.