Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Pequeno balão metálico: como Pentágono descreveu objeto voador abatido pelos EUA

    Memorando oferece os primeiros detalhes oficiais de um dos três objetos abatidos nos últimos dias

    Zachary CohenJeremy Herbda CNN

    O objeto voador não identificado abatido no espaço aéreo canadense no último sábado parecia ser um “pequeno balão metálico com uma carga amarrada abaixo dele”, de acordo com um memorando do Pentágono enviado aos legisladores nesta segunda-feira (13) e obtido pela CNN.

    O memorando oferece os primeiros detalhes oficiais de um dos três objetos abatidos nos últimos dias, anteriormente descrito como um “objeto cilíndrico”.

    O objeto passou perto de “locais sensíveis dos EUA” antes de ser abatido, disse o memorando.

    Oficiais de defesa também escreveram no memorando aos legisladores que o objeto abatido sobre o Lago Huron, em Michigan, no domingo, “posteriormente desceu lentamente” até a água após o impacto.

    Um oficial de defesa disse à CNN na segunda-feira que o Pentágono não enviou um memorando oficial ao Capitólio, mas reconheceu que continua a informar e enviar correspondência aos comitês relevantes.

    Os novos detalhes surgem enquanto os legisladores no Capitólio pressionam para entender melhor por que o governo Biden derrubou três objetos não identificados em três dias após a queda do balão espião chinês que atravessou os EUA no fim de semana anterior.

    Legisladores e assessores do Congresso disseram à CNN que os abates consecutivos pareciam uma correção exagerada do incidente do balão espião chinês, embora tenham alertado que ainda é muito cedo para dizer definitivamente.

    “O que está acontecendo agora é que estamos realmente procurando por eles com vigilância extra. Estamos procurando por eles de maneiras diferentes. Estamos começando a vê-los de maneiras diferentes”, disse o deputado democrata do Colorado, Jason Crow, no programa “CNN This Morning” na segunda-feira.

    “Meu palpite especulativo sobre o motivo pelo qual estamos vendo essas coisas acontecerem em rápida sucessão é que agora estamos realmente sintonizados em procurá-los”, disse o deputado Jim Himes, de Connecticut, o principal democrata no Comitê de Inteligência da Câmara, no programa “Meet the Press” da NBC no último domingo.

    “A verdade é que a maioria dos nossos sensores e muito do que procurávamos não se parecia com balões. Agora, é claro, estamos procurando por eles. Então, acho que provavelmente estamos encontrando mais coisas”, acrescentou Himes.

    Suposto balão espião chinês cai no oceano após ser abatido na costa de Surfside Beach, no Estado norte-americano da Carolina do Sul / 04/02/2023 REUTERS/Randall Hill

    O Senado está realizando um briefing confidencial para todos os senadores sobre os objetos derrubados nesta terça-feira, de acordo com um porta-voz do líder da maioria, Chuck Schumer.

    A Casa Branca negou na segunda-feira que as recentes ações rápidas do presidente Joe Biden para derrubar objetos de alta altitude identificados pairando sobre o espaço aéreo americano foram resultado de pressão política, após críticas anteriores de que ele esperou muito tempo para fazer a chamada para abater um suspeito chinês balão espião.

    “Estas foram decisões baseadas pura e simplesmente no que era do melhor interesse do povo americano”, disse o coordenador do Conselho de Segurança Nacional para comunicações estratégicas, John Kirby, na segunda-feira.

    Um oficial de defesa disse que o radar usado pelo Comando de Defesa Aeroespacial da América do Norte foi ajustado após o avistamento inicial do balão de alta altitude.

    “Continuamos a refinar as configurações de detecção, e isso não vai parar só porque identificamos esses objetos menores”, disse o funcionário.

    Uma autoridade dos EUA disse à CNN no fim de semana que houve cautela dentro do governo nas descrições dos pilotos dos objetos não identificados devido às circunstâncias em que os objetos foram vistos.

    “Esses objetos não se assemelhavam muito e eram muito menores que o balão da RPC e não os caracterizaremos definitivamente até que possamos recuperar os destroços, nos quais estamos trabalhando”, disse um porta-voz do Conselho de Segurança Nacional.

    Destroços de balão chinês são recuperados no litoral do Estado norte-americano da Carolina do Sul / 05/02/2023 Marinha dos EUA/Divulgação via REUTERS

    O memorando dizia que o objeto abatido sobre o Alasca na sexta-feira era “do tamanho de um carro pequeno” e não semelhante ao balão chinês disparado na costa da Carolina do Sul.

    “Não temos mais detalhes sobre o objeto neste momento, incluindo o escopo completo de suas capacidades, seu propósito ou sua origem”, afirma o memorando do Pentágono.

    O memorando dizia que esforços de “recuperação/exploração” estavam em andamento para recuperar o objeto abatido no território canadense de Yukon, observando que tanto as autoridades americanas quanto canadenses estavam tentando identificar os destroços.

    As autoridades canadenses estão liderando a investigação, embora o FBI esteja envolvido com eles, de acordo com o memorando.

    “Não se deve presumir que os eventos dos últimos dias estejam conectados”, observou o Pentágono no memorando.

    Navios da Guarda Costeira dos EUA foram mobilizados para pesquisar o local no Lago Huron, onde o terceiro objeto foi abatido, e o memorando do Pentágono disse que nenhuma informação adicional estava disponível sobre a descrição desse objeto.

    Objeto voador foi abatido próximo do lago Huron, um dos cinco Grandes Lagos, entre o estado americano de Michigan e a província canadense de Ontário.
    Objeto voador foi abatido próximo do lago Huron, um dos cinco Grandes Lagos, entre o estado americano de Michigan e a província canadense de Ontário. / Mara Koenig/USFWS

    “A prioridade agora é a recuperação e exploração do objeto”, disse o memorando.

    O primeiro míssil lançado por um caça F-16 contra o objeto perto do Lago Huron no domingo não atingiu o alvo, disseram três pessoas informadas sobre o assunto à CNN.

    A Fox News foi a primeira a relatar que o míssil inicial foi perdido, e a CNN procurou o Pentágono para comentar.

    O Pentágono e a Casa Branca não haviam divulgado anteriormente que o primeiro míssil não atingiu o alvo, mas o comandante do NORTHCOM e do NORAD, general Glen VanHerck, disse a repórteres no domingo que adquirir e mirar o objeto era difícil por causa de seu pequeno tamanho.

    Os pilotos optaram por usar Sidewinders AIM-9X de curto alcance, que são capazes de ver o contraste de calor entre um objeto e a área circundante. Mas mesmo assim, o primeiro míssil não atingiu seu alvo. Não está claro o que aconteceu com o míssil.

    Oren Liebermann, Natasha Bertrand e Haley Britzky, da CNN, contribuíram para reportagem

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original