Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Rússia deveria lançar nova fase de campanha contra Ucrânia, diz líder separatista

    Próximos passos são necessários depois do que testemunhamos nas regiões fronteiriças, avalia Denis Pushilin, de Donetsk

    Líder da autoproclamada República Popular de Donetsk, Denis Pushilin (dir), ao lado do secretário-geral do partido governista Rússia Unida, Andrey Turchak, durante entrevista coletiva em Donetsk
    Líder da autoproclamada República Popular de Donetsk, Denis Pushilin (dir), ao lado do secretário-geral do partido governista Rússia Unida, Andrey Turchak, durante entrevista coletiva em Donetsk 23/02/2022 REUTERS/Alexander Ermochenko

    Da Reuters

    Ouvir notícia

    O líder separatista de Donetsk, região no leste ucraniano apoiada pela Rússia, disse nesta terça-feira (26) que Moscou deveria lançar a próxima etapa de sua campanha militar na Ucrânia depois de chegar às fronteiras do território.

    Denis Pushilin, líder da autoproclamada República Popular de Donetsk, disse em um talk-show russo transmitido online que a próxima fase da intervenção militar da Rússia é crucial após incidentes de segurança fora da região.

    Como exemplos, Pushilin citou explosões que atingiram a região separatista moldava da Transnístria, na fronteira com a Ucrânia, na segunda-feira (25), bem como alegações russas de bombardeio de suas regiões fronteiriças por forças ucranianas.

    “O ritmo em que a operação (militar) chega às nossas fronteiras é importante para nós, a fim de lançar sua próxima fase, que é necessária depois do que testemunhamos na Transnístria e nas regiões fronteiriças da Rússia”, disse Pushilin à agência de notícias RIA.

    A Rússia disse, nesta segunda-feira (25), que investigará a causa de um grande incêndio que eclodiu nas primeiras horas da manhã em uma instalação de armazenamento de petróleo na cidade de Bryansk – 154 quilômetros a nordeste da fronteira com a Ucrânia. O Ministério de Situações de Emergência da Rússia disse que ninguém ficou ferido no incidente.

    O Ministério disse em comunicado que o incêndio começou em uma instalação de propriedade da empresa de oleodutos Transneft às 02h, horário de Moscou (20h, horário de Brasília), e que não houve necessidade de evacuar nenhuma parte de Bryansk, uma cidade de 400 mil pessoas.

    Situação em Luhansk

    A região de Luhansk, próxima a Donetsk, sofreu grandes cortes no fornecimento de água e energia devido ao pesado bombardeio russo, disse Serhiy Hayday, chefe da administração militar regional.

    Houve “mais 7.500 quedas de energia, quase toda a região de Luhansk está sem abastecimento de água”, disse Hayday em comunicado no Telegram nesta segunda-feira (25).

    “Nos últimos 10 dias, 10 assentamentos tiveram a energia cortada devido ao bombardeio russo, nove dos quais foram completamente cortados. Isso faz 30.000 famílias sem eletricidade. Só no último dia, 7.500 apartamentos e casas particulares foram cortados”, afirmou.

    Mais Recentes da CNN