CPI da Pandemia ouve advogada de médicos da Prevent e Luciano Hang

Médicos elaboraram dossiê que acusa a Prevent de fazer testes com cloroquina, e consta no documento que o atestado de óbito da mãe de Hang foi fraudado

Douglas Portoda CNN*

em São Paulo

Ouvir notícia

Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia ouve na próxima semana a advogada Bruna Morato, representante dos médicos que elaboraram um dossiê contra a Prevent Senior, na terça-feira (28), e o empresário Luciano Hang, dono das lojas Havan, na quarta-feira (29).

Médicos que trabalham ou trabalhavam na Prevent Senior reuniram uma série de irregularidades, como a realização de testes com cloroquina no tratamento da Covid-19 e a ocultação de informações dos pacientes, e encaminharam ao senador Humberto Costa (PT-PE), que realizou o requerimento de convocação de Morato.

Entre as denúncias, está a pressão exercida pela operadora de saúde para que fosse prescrito indiscriminadamente o “kit Covid”, composto por cloroquina, azitromicina e ivermectina, sem eficácia comprovada contra a doença. A empresa ainda teria assediado pacientes para aceitarem o tratamento precoce.

A estratégia foi adotada, segundo o dossiê, para o governo federal influenciar a população a consumir os medicamentos. Os documentos ainda dizem que a empresa Vitamedic lucrava com a venda dos fármacos, e a Prevent Senior com novas adesões ao plano de saúde.

Morato informou, em áudio enviado à CPI na quarta-feira (22), que a operadora havia demitido quatro médicos, entre eles um dos clientes da advogada, que contribuiu com a elaboração de dossiê.

Já Luciano Hang é acusado de fazer parte do “gabinete paralelo”, grupo que assessorava o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) nas questões relacionadas à pandemia.

O nome do dono das lojas Havan foi citado durante o depoimento de Pedro Benedito Batista Júnior, diretor-executivo da Prevent Senior. A mãe do empresário, Regina Hang, de 82 anos, ficou internada em uma das unidades do hospital Sancta Maggiore, que pertence à operadora de saúde.

Em um vídeo apresentado na CPI, Hang diz que se arrepende de não ter levado sua mãe para fazer o chamado “tratamento precoce”. Entretanto, o dossiê aponta que o prontuário de Regina Hang mostra que ela utilizou o “kit Covid” e repetiu o tratamento sem eficácia enquanto estava internada. Após sua morte por complicações da doença, teve sua declaração de óbito fraudada.

Pedro Júnior admitiu durante seu depoimento que a Prevent Senior orientou médicos a alterarem o CID — o código utilizado mundialmente para identificar e diferenciar as doenças — de pacientes com Covid-19 após um período de internação, o que teria resultado em um número subdimensionado de mortes em razão da doença na rede da empresa.

Hang informou em nota à imprensa que recebe com “tranquilidade” a convocação para depoimento à CPI. Ainda afirmou que “será um prazer estar presente e falar de todo o trabalho que nós fizemos, visando ajudar no enfrentamento da pandemia”.

“Estou totalmente à disposição para esclarecer qualquer questionamento”, concluiu o empresário.

Na terça-feira serão votados requerimentos para a quebra de sigilos e a convocação de Kassyo Santos Ramos. Segundo relatórios de inteligência do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), ele teria recebido dinheiro de Danilo Trento, suposto diretor da Precisa Medicamentos.

(Com informações da Agência Senado)*

Mais Recentes da CNN