Situação da Covid-19 na Europa é muito preocupante, diz infectologista de Oxford

À CNN Rádio, Ana Luíza Gibertoni afirmou que aumento de casos demonstra que não é hora de relaxar medidas e usar somente a vacinação como estratégia de combate

Áustria impõe novas regras de confinamento para os que não se vacinaram contra a Covid-19
Áustria impõe novas regras de confinamento para os que não se vacinaram contra a Covid-19 Jan Hetfleisch/Getty Images

Amanda Garciada CNN

São Paulo

Ouvir notícia

Diversos países da Europa, a exemplo de Áustria, Irlanda, Holanda e Dinamarca, voltaram a endurecer medidas de combate à Covid-19 após aumento de casos da doença que ligou o sinal de alerta para as autoridades.

Em entrevista à CNN Rádio, a infectologista e pesquisadora na Universidade de Oxford, Ana Luíza Gibertoni, reforçou que a situação é “bastante preocupante.”

“O aumento de casos, provavelmente, está associado às pessoas mais jovens, e também ligado à transmissão em escolas devido a poucas medidas de mitigação. Além disso, o relaxamento prematuro das medidas não-farmacológicas e confiança só na vacinação”, explicou.

Segundo a infectologista, a vacinação não pode ser a única estratégia de combate ao coronavírus, já que ela não previne a transmissão. Ela defendeu que medidas não-farmacológicas são necessárias, mesmo em países com alta cobertura vacinal: “Só vacinados em lugares fechados e aglomeração, por exemplo, uso de máscaras, ênfase em ventilação, não dá para relaxar”, completou.

“Para atingir uma situação de ‘imunidade de rebanho’ em que a maior parte da população está protegida e mesmo os não-vacinados, é preciso uma alta taxa de vacinação, inclusive de crianças e adolescentes”, disse.

Produção de Bel Campos

Mais Recentes da CNN