Armas cenográficas: o que são e como podem matar?

Especialistas explicam que, mesmo quando não há "balas" em uma arma, ainda existem projéteis, incluindo pólvora e gás, que podem ser perigosos

Lisa Respers FrançaSofia Couceiroda CNN

Ouvir notícia

O objetivo dos filmes e séries de TV é fazer com que as cenas pareçam realistas. Quando se trata de armas cenográficas, elas não apenas parecem ser perigosas.

Esse foi o caso, na quinta-feira (21) da morte de Halyna Hutchins no set do filme “Rust”, no Novo México.

A diretora de fotografia de 42 anos morreu depois que o ator Alec Baldwin disparou uma arma cenográfica, de acordo com os investigadores. O diretor do filme Joel Souza, 48, também ficou ferido durante o incidente.

O especialista em adereços cenográficos Joseph Fisher disse à CNN, nesta sexta-feira (22), que medidas extremas de segurança são tomadas quando se trata de armas no set.

“Normalmente fazemos um briefing de segurança com o elenco e a equipe”, disse ele. “Deixamos todos examiná-la, explicamos as precauções de segurança que acompanham cada tipo de arma cenográfica. Neste caso [o incidente em “Rust”], foi uma arma branca, e com isso existem riscos inerentes.”

Fisher mencionou o caso do ator Brandon Lee, que morreu em 1993 após uma bala acidentalmente alojada em uma arma atingi-lo, o que resultou em Lee sendo ferido no abdômen.

O especialista disse que mesmo quando não há “balas” em uma arma, ainda existem projéteis, incluindo pólvora e gás, que podem ser perigosos dentro de um certo alcance.

Ben Simmons, da Bare Arms, uma empresa do Reino Unido que trabalha com armas de fogo em sets, disse à CNN que uma variedade de “armas cenográficas” pode ser usada em produções de TV e filmes.

Eles variam, disse ele, de “uma arma de fogo completamente falsa que foi construída” a partir de materiais como borracha ou madeira, até uma arma de verdade ou uma arma que já funcionava e que se tornou inoperante.

Simmons explicou que o tipo de arma usada depende da produção, mas muitas vezes as armas que “disparam em branco” (fire blank) são usadas nos sets.

Em uma arma normal, uma carga dispara o projétil que é uma bala. “Disparar em branco” refere-se a um cartucho vazio que geralmente consiste em um cartucho ou invólucro, pólvora, mas nenhuma bala.

Em vez disso, há uma ponta que foi “moldada” com enchimento ou cera, de acordo com o “Manual de Armas de Fogo e Balística”.

“Isso não significa que as balas em branco sejam seguras, porque se você ficar no caminho delas ou chegar muito perto delas, muita sujeira e detritos podem ser jogados para fora da arma, e isso pode causar danos”, Simmons disse. “É extremamente raro que aconteça e é ainda mais raro que cause a morte.”

Dave Brown, um instrutor profissional de armas de fogo e coordenador de segurança de armas de fogo, escreveu um artigo para a revista American Cinematographer em 2019 em que explicou que “CGI [imagens geradas por computador] podem ser usadas para tiros de curta distância que não poderiam ser alcançados com segurança de outra forma”.

“Mas sim, mesmo com todos os avanços em efeitos visuais e imagens geradas por computador, ainda disparamos em branco com armas”, diz o texto. “A razão é simples: queremos que a cena pareça o mais real possível. Queremos que a história e os personagens sejam verossímeis”, escreveu Brown.

“Os tiros em branco ajudam a contribuir para a autenticidade de uma cena de maneiras que não podem ser alcançadas de outra maneira. Se o cineasta está lá para pintar uma história com luz e enquadramento, os especialistas em armas de fogo estão lá para realçar a história com drama e emoção.”

Quanto mais pólvora for usada, maior será o clarão e o disparo de uma arma cenográfica. O artigo de Brown reiterou que o uso de disparos em branco ainda requer alguém no set com experiência em armas de fogo.

“Disparos em branco expelem pólvora e gases quentes pela frente do cano em forma de cone”, escreveu ele. “Isso é inofensivo em distâncias maiores, mas a explosão pode ferir gravemente alguém se estiver muito perto.”

Daniel Oates, ex-chefe de polícia de Miami Beach, Flórida, e Aurora, Colorado, disse à CNN que no policiamento “você trata cada arma como se fosse perigosa e estivesse carregada o tempo todo”.

E, enquanto as armas auxiliares nos sets geralmente usam tiros em branco em vez de munição real, Oates explicou que todos eles usam pólvora como agente de carga para criar o ruído e a imagem de um tiro real. “Mesmo de perto, essas armas podem ser muito, muito perigosas”, disse ele.

O Gabinete do xerife do Condado de Santa Fé disse que a investigação sobre o que aconteceu no set de “Rust” está “aberta e ativa”, e nenhuma acusação foi apresentada.

(Esta matéria foi traduzida. Leia a original, em inglês)

Mais Recentes da CNN