Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Trégua entre Israel e Hamas entra no último dia com 175 pessoas libertadas

    Três listas com nomes de reféns em Gaza e prisioneiros palestinos detidos em prisões israelenses foram divulgadas desde o início do acordo, na sexta-feira (24); Hamas diz que quer prolongar pausa nos ataques

    Fotos mostram quem são os reféns israelenses libertados pelo grupo radical islâmico Hamas na terceira leva, neste domingo (26)
    Fotos mostram quem são os reféns israelenses libertados pelo grupo radical islâmico Hamas na terceira leva, neste domingo (26) Reprodução

    Da CNN

    O prazo para o fim da pausa nos bombardeios entre Israel e o Hamas acaba nesta segunda-feira (27), após o início da trégua às 2h (horário de Brasília) da sexta-feira (24), às 7h do horário local.

    Desde o início da pausa, três listas já foram divulgadas com nomes de reféns na Faixa de Gaza e de prisioneiros palestinos em Israel a serem libertados, como parte do acordo.

    Ao todo, 175 pessoas já foram soltas.

    Libertados por Israel:

    • 1º grupo (sexta-feira): 39 prisioneiros palestinos
    • 2º grupo (sábado): 39 prisioneiros palestinos
    • 3° grupo (domingo): 39 prisioneiros palestinos

    Libertados pelo Hamas:

    • 1º grupo (sexta-feira): 13 israelenses, 10 tailandeses e 1 filipino (24 pessoas)
    • 2º grupo (sábado): 13 israelenses e 4 tailandeses (17 pessoas)
    • 3° grupo (domingo): 14 israelenses e 3 tailandeses (17 pessoas)

    Veja também: Veja como funcionará a trégua entre Israel e o Hamas

    A trégua estabeleceu ainda que centenas de caminhões pudessem atravessar a passagem de Rafah, na fronteira entre a Faixa de Gaza e o Egito, para levar suprimentos aos civis no território palestino.

    O Catar disse que uma sala de operações em Doha monitora a trégua e a libertação dos reféns, e mantém linhas diretas de comunicação com Israel, com o escritório político do Hamas em Doha e com o Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV).

    Ao longo dos últimos 3 dias, acusações mútuas entre o Hamas e Israel surgiram, relatando violações dos acordos. A libertação de pessoas continuou, contudo, por ambos os lados.

    Mais tempo de trégua

    O Hamas disse no domingo (26) que quer prolongar a trégua de quatro dias com Israel, prazo que encerra nesta segunda-feira (27).

    Desde sexta-feira (24) os dois lados do conflito já libertaram dezenas de reféns e prisioneiros.

    Em comunicado, o grupo radical islâmico disse que pretende “estender a trégua após o término do período de quatro dias, através de esforços sérios para aumentar o número de pessoas libertadas da prisão, conforme estipulado no acordo de cessar-fogo humanitário”.

    No início deste fim de semana, o Catar, que desempenhou um papel central na mediação do acordo, disse que também esperava prolongar a trégua, que inclui uma prorrogação de um dia extra por cada dez reféns que o Hamas está disposto a libertar.

    “O que esperamos é que o impulso que resultou das libertações…e deste acordo de quatro dias nos permita estender a trégua para além destes quatro dias e, portanto, entrar em discussões mais sérias sobre o resto dos reféns”, disse o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores do Catar, Majed Al-Ansari, à CNN no sábado.

    O presidente dos EUA, Joe Biden, também expressou o desejo de estender a pausa nos combates durante neste domingo.

    (Publicado por Gsutavo Zanfer, com informações de Ibrahim Dahman)