Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Enem começa amanhã; tudo que precisa saber para fazer a prova

    Caneta preta, RG e máscara são os itens obrigatórios para a realização do Exame

    Aplicativo do Enem, Exame Nacional do Ensino Médio
    Aplicativo do Enem, Exame Nacional do Ensino Médio Foto: Marcello Casal JrAgência Brasil

    Luana Franzão*,

    da CNN, em São Paulo

    A aplicação da primeira prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em todo o país ocorre neste domingo (17).

    O exame começa com as matérias da área das Ciências Humanas e da Linguagem, compreendendo disciplinas como História, Geografia, Filosofia, Sociologia, Língua Portuguesa, e a tão temida Redação.

    Em ano de pandemia, muitas mudanças foram previstas no exame, mas algumas coisas não mudam: o candidato deve sair de casa mais cedo, para não se atrasar.

    O horário de fechamento dos portões é às 13h, como na maioria dos anos, e os candidatos que chegarem após este horário não poderão fazer o exame.

    O que mudou, entretanto, foi o horário de abertura dos portões, que ocorrerá às 11h30, dando mais tempo para a chegada e acomodação dos alunos.

    Alguns horários para o estudante ficar atento são:

    • Abertura dos portões: 11h30
    • Fechamento dos portões: 13h
    • Início das provas: 13h30
    • Término da prova (1º dia): 19h
    • Término da prova (2º dia): 18h30

    Não é obrigatório que o aluno apresente o Cartão de Inscrição para entrar nos locais de prova, mas ter esse material em mãos — que fica disponível no Portal do Enem na internet, na Área do Candidato — pode ser muito útil.

    Lá, vão estar disponíveis além dos dados do candidato (nome completo, CPF, etc.), informações sobre o local de prova, como o endereço e a sala na qual o estudante foi alocado para a realização do exame.

    É obrigatório, no entanto, que o candidato esteja com um documento oficial com foto (RG, CNH ou passaporte), uma caneta de tinta preta fabricada em material transparente (é prudente levar mais de uma) e máscara. Sem esses itens, o candidato não faz a prova.

    O Enem 2020, aliás, ganhou mais esse material obrigatório: a máscara é item essencial por conta da pandemia da Covid-19, em acentuação no Brasil.

    O Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisa Anísio Teixeira) estipulou uma série de medidas para a realização mais segura da prova no ano pandêmico.

    Os protocolos de biossegurança do exame são:

    • Uso constante de máscaras é obrigatório, apenas com exceção breve para o consumo de líquidos e alimentos, instruído pelo aplicador do exame;
    • O candidato deve levar sua própria garrafa de água para a prova, pois o acesso aos bebedouros será vetado;
    • Disponibilidade de álcool em gel em todas as salas e banheiros. O aluno será obrigado a higienizar as mãos antes de entrar na sala de aula;
    • Os aplicadores e outros profissionais envolvidos no momento da confecção da prova irão usar equipamentos de biossegurança (máscaras, luvas, face shield);
    • Ocupação de 50% da capacidade das salas apenas;
    • Janelas e portas devem permanecer abertas, para melhorar a circulação do ar no ambiente;
    • Pessoas que declararam fazer parte dos grupos de risco para a Covid-19 no momento da inscrição farão a prova em salas com 25% da capacidade ocupada;

    É importante lembrar que o candidato que se recusar a colocar ou a permanecer de máscara cobrindo o nariz e a boca, em qualquer momento do exame, é passível de eliminação.

    A página do Enem na internet afirma que as máscaras serão inspecionadas para evitar fraudes, mas não especificou o procedimento.

    O candidato que apresentar sintomas da Covid-19 não deve, em hipótese alguma, comparecer no local de prova para fazer o Enem.

    Esse comportamento pode colocar em risco outros candidatos e é uma responsabilidade individual de cada aluno.

    O Enem terá uma reaplicação para alunos que não puderem fazer o primeiro exame por motivos de saúde. Para conseguir participar da nova oportunidade, o candidato deve informar a falta por motivo de doença infectocontagiosa na Área do Candidato e inserir uma comprovação legível médica, na qual devem constar:

    • Nome completo do candidato;
    • Diagnóstico com a descrição da condição;
    • Código correspondente à Classificação Internacional de Doença (CID 10);
    • Assinatura e identificação de profissional médico capacitado (ou seja, número do cadastro no Conselho Regional de Medicina ou outros órgãos de habilitação);
    • Data do atendimento

    O documento deve ser anexado em formato PDF, PNG ou JPG, com no máximo 2 MB de tamanho.

    São consideradas doenças infectocontagiosas pelo Enem: coqueluche, difteria, doença invasiva por Haemophilus influenza, doença meningocócica e outras meningites, varíola, Influenza humana A e B, poliomielite por poliovírus selvagem, sarampo, rubéola, varicela e Covid-19.

    Resultados

    Os resultados dos exames serão publicados em 29 de março e os sistemas de seleção com base na nota do Enem — SISU, FIES, ProUni — devem ter início em abril, conforme Alexandre Lopes, presidente do Inep, informou em entrevista à CNN.

    O Enem ainda terá a aplicação da versão digital em 31 de janeiro e 7 de fevereiro.

    (*Supervisão de Sinara Peixoto)