Animus, pratos cheios de alma, técnica e que destacam ingredientes brasileiros

Jovem chef Giovanna Grossi traz cozinha cheia de criatividade e que valoriza ingredientes tipicamente brasileiros em casa aconchegante em São Paulo

Tina Binido Viagem & Gastronomia São Paulo, SP

Em Baixo Pinheiros, em frente à famosa Paróquia Nossa Senhora Mãe do Salvador, conhecida como Igreja da Cruz Torta, funciona desde 2019 o Animus. No site e nas redes sociais do restaurante, o descritivo é “comida com alma”. E se comida com alma é uma viagem que vai além do estômago, alcançando o coração, o descritivo é verdadeiro.

Comandado pela maceioense Giovanna Grossi, a jovem e talentosa chef cria seus pratos com ingredientes que valorizam a sazonalidade e os sabores brasileiros. Um menu feito para compartilhar ou para ser devorado sozinho, para agradar vegetarianos e carnívoros, e para deixar todo mundo feliz e satisfeito.

Dona de uma técnica apurada, a chef já passou por renomados e estrelados restaurantes na Europa. Tal experiência é sentida a cada garfada, quando um prato de repolho na brasa com creme de castanha e chutney de tomate (R$ 45) ou de alho-poró com queijo Cuestinha, pesto e avelã (R$ 45) são transformados em verdadeiras iguarias que explodem sabores, texturas e aromas e fazem até os mais “contra vegetais” da história aclamarem juras de amor.

Entre outros imperdíveis da casa também estão o arroz de cebola carameliza (R$ 48); a burrata frita com tomates caramelizados e pesto (R$ 64); e o T-Bone de cordeiro na brasa, legumes e farofa (R$ 84).

 

Também merecem ser aclamadas o tartare de carne com gema curada e casca de laranja confit (R$ 45); os bolinhos de costela com coulis de tomate e pimenta (R$ 19 – 2 unidades); a costelinha de porco servida com purê de abóbora, maçã verde e café (R$ 62); ou o pappardelle com ragu de pato e cogumelos (R$ 78).

​​Entre as criações que acabaram de entrar no cardápio para essa temporada, se destacam o camarão rosa ao beurre blanc de bisque e limão siciliano (R$ 70) e a codorna desossada, com cogumelos, musseline de batatas e picles de cebola (R$ 62) – prato que permite aproveitar a temporada das trufas brasileiras Sapucay e incluir a iguaria no prato por mais R$ 75.

Arroz bolinha com cebola caramelizada e crispy de cebola
Arroz bolinha com cebola caramelizada e crispy de cebola / Tina Bini

Na ala das sobremesas, a mousse de pipoca, baunilha do cerrado, chocolate branco caramelizado e lavanda (R$ 38) finaliza com esmero a refeição.

Não é só a parte das comidas que brilham e trazem muita personalidade ao Animus, o chef de bar Pedro Piton criou drinques autorais e fez questão de manter o mesmo DNA da casa de incorporar ingredientes brasileiros, como a tiquira, a baunilha do cerrado e o puxuri – uma semente amazônica – nas criações.

Nasceu assim o Pacovã, que leva rum Añejo infusionado com banana, baunilha do cerrado, caramelo salgado, Averna e limão (R$ 48); o Piscón, com pisco, St. Verger, pera, poejo, clarificado em leite (R$ 42); o Kamu, composto por Bourbon, Jerez cream e néctar de cambuci (R$ 48); o Manacá, feito de vodka, vermute seco, uvaia, aquafaba e puxuri (R$ 44); e o Maniva, com tiquira (destilado de mandioca maranhense), manga, licor de laranja e limão siciliano (R$ 46).

Animus lançou na última semana carta nova de drinques autorais
Animus lançou carta de drinques autorais. Na foto, o Pacovã, que leva rum Añejo infusionado com banana, baunilha do cerrado, caramelo salgado, Averna e limão / Thays Bittar

Animus: Rua Vupabussu, 347 – Pinheiros / Tel.: (11) 2371-7981 / (11) 98705-9388 / Horário: segunda, das 12h às 15h  e das 19h às 22h; quarta a sexta, das 12h às 15h e das 19h às 23h; sábado, das 12h às 16h30 e das 19h às 23h; e domingo, das 12h às 16h30. Não abre às terças-feiras.