Onde os chefs comem? Com Danillo Coelho, do Mila Osteria, em São Paulo

Já se perguntou onde os chefs dos restaurantes mais badalados do mundo comem quando não estão atrás das panelas? Na nossa coluna, eles abrem o jogo e contam quais são seus restaurantes prediletos

Danillo Coelho é o nome por trás do Mila, em São Paulo
Danillo Coelho é o nome por trás do Mila, em São Paulo Laís Acsa

CNN Viagem & Gastronomiado Viagem & Gastronomia São Paulo

Natural de Vitória de Santo Antão, na Zona da Mata de Pernambuco, o chef Danillo Coelho desembarcou em São Paulo quando criança e fez da cidade grande sua morada. Apesar de ter voltado ao estado natal para cursar administração em turismo, foi na gastronomia que encontrou a vocação.

A vida de cozinheiro foi despertada depois de um almoço na casa de um vizinho italiano, com direito a massa fresca secando no varal. Com vontade de trabalhar em uma cozinha profissional, bateu na porta de um dos principais restaurantes da capital paulista, o Mocotó, e lá trabalhou por quase um ano.

Hoje, seu currículo acumula outras grandes casas da gastronomia nacional e internacional, como o El Baqueano, na Argentina, o Maní e o Pipo, em São Paulo, e até o duas estrelas Michelin “mais distante do mundo”, o Koks, nas Ilhas Faroé. Recentemente, ele assinou o menu do Capanema, de influência mediterrânea nos Jardins.

À frente do Mila, osteria moderninha no Itaim Bibi que se prepara para abrir nova unidade, o chef também frequenta outros restaurantes pela capital paulista. Seus destaques vão para as regiões da Vila Mariana e do centro, mas cabe até uma ida à Baixada Santista em busca de uma boa experiência. Abaixo, confira os endereços prediletos do chef Danillo Coelho para comer bem:

  • Izakaya Omoide Sakaba


Para mim, o Omoide Sakaba é o melhor izakaya de São Paulo. O restaurante é meu vizinho predileto, onde vou para comer de tudo e também para celebrar, para encher a barriga e ser muito feliz.

Sentar no balcão é sempre uma experiência à parte, mas escolher uma mesa grande com amigos também é incrível. A casa serve clássicas receitas de izakaya, com direito a croquetes, bolinhos, frituras, sashimi e conservas, além de saquês e shochu.

E um lembrete importante: faça reserva com no mínimo dois dias de antecedência.

Izakaya Omoide Sakaba: Rua Luís Góis, 1574 – Mirandópolis, São Paulo – SP / Tel.: (11) 97474-1352 (WhatsApp) / Horário de funcionamento: segunda a sábado e feriados, das 18h às 22h.

  • Mapu

restaurante mapu
Berinjela do Mapu / Divulgação/Instagram

O Mapu é uma casa de baos e comidinhas que é chefiada pela dupla Victor Valadão e Caio Yokota. Eles revisitam a culinária taiwanesa de uma forma única e inovadora com pratos simples, delicados e extremamente saborosos.

Os baos são o sucesso da casa (R$ 30), mas destaco também a panqueca de cebolinha (R$ 14), que é um espetáculo, e a berinjela (R$ 37), que não é qualquer uma: é “a” berinjela. Aqui me sinto abraçado por um dos melhores serviços da cidade.

Mapu Baos e Comidinhas: Rua Áurea, 267 – Vila Mariana, São Paulo – SP / Tel.: (11) 5081-4070 / Horário de funcionamento: terça a sexta, das 11h30 às 14h30 e das 18h às 22h; sábado, das 12h às 15h30 e das 18h às 22h; fechado aos domingos e segundas.

  • O Brazeiro

O Brazeiro oferece porções fartas para compartilhar / Divulgação

O Brazeiro é outra joia da minha região que vou sempre. Também na Rua Luís Góis, a mesma do Omoide Sakaba, a casa é especializada em galeto. Portanto, minha dica não poderia ser outra: peça o galeto (R$ 69) com acompanhamentos – os meus favoritos são arroz e salada de batata.

Sou a pessoa mais feliz do mundo quando peço o galeto, que é para ser comido com as mãos e para roer a coxa até o osso. Vale lembrar que, além da Vila Mariana, há uma outra unidade mais moderna do restaurante no Morumbi.

O Brazeiro (Vila Mariana): Rua Luís Góis, 843 – Chácara Inglesa, São Paulo – SP / Tel.: (11) 2275-7139 / Horário de funcionamento: todos os dias, das 11h às 23h.

  • Terê

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Terê (@ao.tere)


Irmão mais novo do Regô, o Terê é meu bar de drinques favorito na cidade. É minha parada após o trabalho para encontrar os amigos no fim da noite e pedir uma baita porchetta (R$ 68) e um Guimarães Punch (R$ 36), meu coquetel predileto da face da terra, que leva cachaça branca, abacaxi, cumaru, limão taiti e siciliano e angostura bitter.

Quem está por trás do bar é a Priscila Bergamasco e o Luiz Felippe Mascella, que considero os reis da Santa Cecília. Do bar é possível ir andando direto para o Regô para fechar bem a noite.

Terê: Rua General Jardim, 427 – Vila Buarque, São Paulo – SP / Tel.: (11) 96252-0884 Horário de funcionamento: terça a sexta, das 19h à 1h; sábado, das 18h à 1h.

  • Revo Manufactory (Santos)


Desço a serra e vou para Santos só para comer no Revo Manufactory, que abre para almoço, brunch, café da tarde e jantar. O restaurante ainda serve pizzas e conta com padaria e empório, tudo feito ali mesmo.

Confesso que iria todos os dias se fosse em São Paulo. É descolado, divertido, tem café, tem vinho, tem pão, tem tudo. Ainda sinto saudades do Moules-Frites que comi na casa uma vez. É bem especial.

Revo Manufactory: Av. Dr. Epitácio Pessoa, 737 – Ponta da Praia, Santos – SP / Tel.: (13) 99755-7386 / Horário de funcionamento: segunda a sábado, das 9h às 23h; domingo, das 9h às 22h.