Dentro de convento e mosteiro, hotéis Belmond em Cusco oferecem sofisticação em prédios históricos

Propriedades vizinhas refletem o melhor da cidade peruana: pátios históricos, gastronomia arrojada e um vislumbre do passado com arcos e obras de arte seculares

Daniela Filomeno no pátio central do Palacio Nazarenas, hotel cinco estrelas Belmond no coração do Cusco
Daniela Filomeno no pátio central do Palacio Nazarenas, hotel cinco estrelas Belmond no coração do Cusco CNN Viagem & Gastronomia

Daniela Filomenodo Viagem & Gastronomia Cusco, Peru

Capital e coração do antigo Império Inca, Cusco nos oferece experiências culturais e gastronômicas únicas: além de templos e ruínas históricas do século 15, passando pela herança colonial espanhola do século 16, a cidade nos Andes peruanos é base para descobrirmos Machu Picchu e para experimentarmos sabores locais com ingredientes surpreendentes.

As ruas estreitas pelos arredores do centro são repletas de lojas, restaurantes e bares, criando uma atmosfera vibrante e ao mesmo tempo acolhedora.

Assim, junto de seus templos, de sua vibração e da gastronomia ímpar, Cusco ainda nos oferece uma cartela hoteleira da mais alta qualidade. Interessante notar que muitos dos principais hotéis da cidade ocupam edifícios históricos restaurados, que aliam história e elegância às habitações modernas.

Exemplos marcantes disso são os hotéis Belmond na cidade, marca que fincou seu selo de qualidade e sofisticação no coração histórico da cidade com duas propriedades restauradas.

Falo do Palacio Nazarenas, que ocupa o prédio que foi um convento do século 17, e do Monasterio, instalado dentro de um mosteiro do século 16 e a uma curta distância da Plaza de Armas.

Ambos os hotéis são vizinhos e ficam a cerca de 15 minutos do aeroporto de Cusco. Eles foram minha casa por alguns dias enquanto percorria as maravilhas naturais e históricas que esta parte importantíssima – e belíssima – do Peru pode nos proporcionar.

Belmond Palacio Nazarenas

Com pé direito original e detalhes que remetem à cultura peruana e seu passado, o Palacio Nazarenas conta com afrescos coloniais e pinturas emolduradas a ouro pelos corredores de um antigo convento restaurado do século 17.

A uma curta caminhada da Plaza de Armas, coração da cidade, em um trajeto de paralelepípedo, terraços, jardins, fontes e a primeira piscina aquecida de Cusco dividem espaço com uma pequena capela restaurada e arcadas – que nos levam para os tempos do convento.

São cerca de 55 suítes divididas em diferentes categorias e espalhadas pelo casarão principal, pelos jardins e pátios. Todas são decoradas em estilo clássico, com móveis de madeira, cabeceiras esculpidas, tapetes de seda e banheiros de mármore.

A cozinha do Senzo serve uma culinária peruana moderna com ervas e flores comestíveis cultivadas aqui mesmo. E uma novidade: Pía León, chef por trás do Central, melhor restaurante da América Latina por cinco vezes seguidas, e do Kjolle, ambos em Lima, é a diretora culinária do novo Mauka, restaurante no hotel que visa a fartura da culinária cusquenha e seus diversos produtos, desde as montanhas andinas até a floresta amazônica.

Por falar em produtos locais, o Hypnôze Spa, marcado por ruínas incas desenterradas durante a restauração, oferece tratamentos com ingredientes peruanos e personaliza experiências para quem deseja relaxar entre a visita em um templo e outro.

Belmond Monasterio

Vizinho ao Palacio Nazarenas, o Monasterio também tem uma aura especial. Localizado dentro de um mosteiro do século 16, o empreendimento faz brilhar nossos olhos com jardins exuberantes, grandes paredes de pedra e obras históricas do século 18.

Móveis em madeira maciça e conjuntos de lençóis brancos marcam os mais de 120 quartos, assim como alguns apartamentos dispõem de oxigênio suplementar para nos auxiliar contra os efeitos da altitude.

Mas a verdadeira alma do hotel reside em seu pátio principal, rodeado por canteiros de flores e um cedro de 300 anos bem ao centro. Aqui é cenário para tomarmos cafés da manhã caprichados e degustarmos almoços sem pressa no restaurante Illariy.

Outro restaurante é o El Tupay, ao lado dos arcos históricos, que serve uma típica culinária peruana com toques internacionais.

Uma das melhores experiências gastronômicas no hotel, porém, acontece na capela do lugar, também do século 16, com um jantar emocionante.

É tocante entrar em um ambiente onde funcionários estão misteriosamente vestidos com roupas que os cobrem dos pés às cabeças e adentrar um local adornado por santidades e detalhes em ouro com dois cantores líricos cantando a plenos pulmões. Parece uma cena saída diretamente da ficção.

Caso queira dar um tempo das visitas externas, o Monasterio ainda oferece tour de arte, aulas de culinária e de pisco sour. Em resumo, é como um tesouro em meio aos templos e ruínas da cidade.