Como impedir o envelhecimento da pele causado pelo estresse da pandemia

Cuidado inclui se desfazer de maus hábitos desenvolvidos no período, como alimentação inadequada, sono desregulado e falta de exercício

Maus hábitos e estresse por causa da pandemia afetam a pele
Maus hábitos e estresse por causa da pandemia afetam a pele Foto: Lucia Romero Herranz / EyeEm/ Getty Images

Sandee LaMotte, da CNN

Ouvir notícia

 Esse rosto no espelho parece um pouco mais velho hoje em dia? “Parte disso se deve à percepção do que chamo de ‘rosto de Zoom’ [ferramenta de videoconferência]”, disse Rajani Katta, autora do livro “Glow: The Dermatologist’s Guide to a Whole Foods Younger Skin Diet”. “A iluminação forte, os ângulos estranhos e apenas olhar para o rosto por horas a fio podem alterar a percepção de sua própria aparência”.

Infelizmente, sua pele também pode estar sofrendo os efeitos de um ano de estresse pandêmico, explicou Whitney Bowe, professor assistente clínico de dermatologia na Escola de Medicina Icahn do Instituto Mount Sinai.

 “Um paciente de longa data chegava e dizia: ‘Perdi meu pai e sinto que envelheci anos neste ano’. Você olha para ele e pode ver que isso realmente teve um impacto físico e, por um mecanismo biológico, entendemos como funciona. Eu o chamo de envelhecimento por estresse”.

O estresse afeta a capacidade de adormecer e continuar dormindo, o que pode afetar nossa pele também, disse o especialista em sono Raj Dasgupta, professor assistente de medicina clínica na Escola de Medicina Keck da Universidade do Sul da Califórnia.

Ele cita um estudo de 2010 sobre os efeitos da privação de sono nas características faciais, que descobriu que “pessoas privadas de sono tinham pálpebras inchadas e olheiras e pareciam ter mais rugas”.

A pressão crônica significa que altos níveis do cortisol (hormônio do estresse) estão inundando o corpo, o que inibe a produção de colágeno e ácido hialurônico na pele. “O colágeno é a estrutura da pele que evita linhas finas e rugas, e o ácido hialurônico mantém a elasticidade da pele, então a perda dos dois pode realmente afetar sua aparência”, destacou Bowe.

Além disso, foi demonstrado que o estresse causa interrupções no funcionamento adequado da barreira cutânea, levando ao aumento da perda de água e ao “aumento da esfoliação, do ressecamento e da formação de rugas”, segundo Marie Jhin, porta-voz da Academia Americana de Dermatologia.

A pressa em corrigir esses sinais de envelhecimento está fazendo com que muitos dermatologistas dos Estados Unidos trabalhem horas extras. “Sim! Estou vendo um fluxo de pacientes chegando após o estresse e a fadiga de Covid-19”, disse Jhin, acrescentando que observou muitos casos de eczema, perda de cabelo e acne por estresse no ano passado.

“Eu nunca vi uma demanda tão alta”, completou Bowe. “Não consigo acompanhar. Meus pacientes estão vindo com muito mais frequência do que antes, especificamente porque sentem que estão envelhecendo”.

O que fazer?

Uma maneira importante de cuidar do envelhecimento ou da pele sensível durante a pandemia é alternar entre “noites ativas e noites de recuperação” com seus produtos para a pele, informa Bowe.

Em uma noite, use soluções antienvelhecimento como retinóides, alfa hidroxiácidos ou ácido glicólico, e depois pule uma ou duas noites, dependendo da secura da sua pele. “O que eu recomendo é fazer um ciclo nos cuidados com a pele”, disse Bowe. “Você não quer comprometer ainda mais a barreira da pele usando ingredientes irritantes todas as noites”.

Noites de recuperação são aproveitadas para cuidar da pele, “usando ingredientes como glicerina, óleo de semente de girassol, óleo de jojoba ou esqualano”- que é uma versão hidrogenada do esqualeno -, composto produzido naturalmente por nossas glândulas sebáceas, disse Bowe.

“Você está usando ingredientes nutritivos e hidratantes que vão reparar a barreira da pele, apoiar o seu microbioma e restaurar um pH saudável para ela”, explicou Bowe.

Como impedir que a pele envelheça ainda mais

Cremes, soros, e preenchimentos adicionais são opções no consultório de dermatologia, mas a melhor maneira de evitar que sua pele envelheça ainda mais é lidar com o estresse, de acordo com os especialistas. Além disso, é necessário se desfazer de quaisquer maus hábitos desenvolvidos durante a pandemia, como alimentação inadequada, sono desregulado ou falta de exercício.

1-  Observe sua dieta, especialmente a ingestão de açúcar

Muitos de nós estamos “comendo estressados, recorrendo ao açúcar e aos carboidratos processados, que infelizmente podem danificar o colágeno da pele ao longo do tempo por meio de um processo chamado de glicação”, disse Katta.

A glicação ocorre quando as moléculas de açúcar se ligam às gorduras e proteínas e criam produtos finais de glicação avançada, ou AGEs, que podem tornar as proteínas de colágeno e elastina menos flexíveis – e a pele mais propensa a enrugar.

Seja bom para a pele, eliminando açúcar, carboidratos processados e xarope de milho rico em frutose, que podem aumentar a taxa de glicação em 10 vezes, segundo estudos. 

2 – Faça bastante exercício

Os cientistas acreditam que o exdercício aumenta a circulação sanguínea no cérebro, especialmente em áreas como a amígdala e o hipocampo – que têm papéis no controle da motivação, do humor e da resposta ao estresse. Ele também libera endorfinas, hormônios de bem-estar.

atividades físicas empurram o sangue oxigenado para todas as partes do corpo, incluindo a pele. Numerosos estudos mostram que os maiores benefícios vêm dos exercícios rítmicos, que fazem o sangue bombear nos principais grupos musculares. Isso inclui corrida, natação, ciclismo e caminhada. Faça o exercício por 15 a 30 minutos, pelo menos três vezes por semana, durante um período de 10 semanas ou mais em intensidades de baixa a moderada.

3 – Durma bem

“É chamado de sono de beleza porque ele regenera a pele à noite”, disse Dasgupta. “Há um hormônio chamado hormônio do crescimento que é secretado durante os estágios mais profundos do sono e estimula o crescimento de células da pele fresca”. Além disso, os níveis de cortisol são normalmente mais baixos à noite, porque estão sob o controle do relógio de sono do corpo, também conhecido como ritmo circadiano.

“Portanto, o cortisol é naturalmente alto durante a manhã e muito baixo à noite”, segundo Dasgupta, “o que é bom porque queremos dormir bem. Mas você pode imaginar que, se estiver muito estressado, terá altos níveis de cortisol à noite – e então sua pele não terá tempo para rejuvenescer”.

4 – Pratique atividades de redução do estresse

Experimente ioga, meditação e respiração profunda para acalmar seus níveis de estresse, sugeriu Bowe: “Tudo isso demonstrou diminuir a produção de cortisol e os níveis de estresse”.

Obviamente, ioga é uma forma de exercício físico. Mas também é uma disciplina espiritual, projetada para fundir corpo e mente. Um estilo de vida de ioga incorpora posturas físicas, regulação da respiração e atenção plena por meio da prática da meditação.

A respiração profunda realinha a parte estressada de nossos corpos, chamada de sistema simpático, com o parassimpático ou sistema de “descanso e restauração”.

Embora existam muitos tipos de respiração, várias pesquisas se concentraram na “coerência cardíaca”, em que você inspira por seis segundos e expira por seis segundos, por um curto período de tempo. Concentre-se na respiração pela barriga, ou respiração até o fundo dos pulmões, colocando a mão na barriga para senti-la se mover.

Trabalhe nessas mudanças que acabam com o estresse e, provavelmente, você ficará mais feliz quando se olhar no espelho e terá um estilo de vida mais saudável.

(Texto traduzido. Leia Leia mais)

 

 

Mais Recentes da CNN