Com carros renovados, temporada 2022 da Fórmula 1 começa no Bahrein; veja guia

Com promessa de aumento das ultrapassagens e corridas mais disputadas, campeonato com 22 provas começa em 20 de março e vai até 20 de novembro

Pilotos das dez equipes da Fórmula 1 ao lado dos carros da temporada de 2022
Pilotos das dez equipes da Fórmula 1 ao lado dos carros da temporada de 2022 Dan Istitene - Formula 1/Formula 1 via Getty Images (10.mar.2022)

Gabriel Fernedada CNN

Em São Paulo

Ouvir notícia

Após pouco mais de três meses da última corrida de 2021, a nova temporada da Fórmula 1 terá início neste fim de semana, com a disputa do Grande Prêmio do Bahrein.

A corrida em Sakhir está marcada para o meio-dia deste domingo (20). O treino de classificação será no sábado (19), também ao meio-dia e, antes disso, acontecerão três sessões de treinos livres: na sexta-feira (18), às 9h e ao meio-dia, e no sábado, às 9h.

Depois da emocionante disputa pelo título em 2021, que terminou com a vitória e o título de Max Verstappen na última volta do GP de Abu Dhabi, a temporada de 2022 da F1 promete, com mudanças na parte técnica, novo regulamento, novos (e velhos) pilotos, e também com um circuito novo no calendário.

Veja as principais mudanças para a temporada da Fórmula 1 e saiba o que esperar da principal categoria do automobilismo mundial neste ano.

Quem é quem

O ano de 2022 será a sexta temporada seguida com 20 pilotos e 10 equipes na disputa. Red Bull, Ferrari, McLaren, Alpine, AlphaTauri e Aston Martin seguem com a mesma dupla da última temporada, enquanto Mercedes, Williams, Alfa Romeo e Hass chegam com novidades.

Mercedes

A atual campeã do Mundial de Construtores vem com mudança na sua dupla de pilotos. Indo para sua 16ª temporada na Fórmula 1 e a 10ª pela Mercedes, o heptacampeão Lewis Hamilton segue como uma das principais atrações do campeonato em 2022. Depois de perder o título no ano passado, o britânico retorna com o objetivo de se tornar isoladamente o maior campeão da categoria – hoje ele está igualado ao alemão Michael Schumacher, com sete conquistas.

Para obter tal feito, Hamilton contará com um novo parceiro de equipe: o jovem e compatriota George Russell, que esteve na Williams em 2021. A promessa já correu pela Mercedes em 2020, quando substituiu Hamilton, que estava com Covid-19, no GP do Bahrein. Russell terminou aquela prova em 9º lugar. O ponto alto da carreira do jovem britânico aconteceu no GP da Bélgica do ano passado, quando terminou em segundo lugar.

Red Bull

Atual campeão mundial, Max Verstappen tem tudo para protagonizar um novo capítulo de sua rivalidade com Hamilton. Piloto mais jovem a vencer uma prova da Fórmula 1, o holandês de 24 anos chega em 2022 como um dos favoritos a brigar pelo campeonato. Em 2021, venceu dez das 22 corridas.

Sergio Pérez segue na equipe como o companheiro de Verstappen. O mexicano de 32 anos vai para sua 12ª temporada na categoria e obteve seus melhores resultados em 2021, terminando o campeonato em 4º lugar, com 190 pontos.

Ferrari

Vinda de um bom resultado na pré-temporada, a Ferrari manteve a dupla que competiu em 2021. Após um ano abaixo das expectativas, ficando apenas uma vez no pódio, o monegasco Charles Leclerc aguarda por dias melhores neste ano. Indo para seu quarto ano de Ferrari, Leclerc não termina entre os três primeiros há 12 GPs.

O espanhol Carlos Sainz, que estreou na escuderia em 2021, foi uma das boas surpresas da temporada passada e venceu a competição interna da equipe, 5,5 pontos na frente de Leclerc. Tirando as duas Mercedes e as duas Red Bulls, Sainz foi o melhor piloto da última temporada.

McLaren

O experiente Daniel Ricciardo se reencontrou com a vitória na F1 em 2021, depois de vencer o GP da Itália, em Monza. Seu último trunfo, antes disso, havia sido em Mônaco três anos antes, um intervalo de 66 GPs sem terminar no lugar mais alto do pódio. Esta será a segunda temporada dele com a McLaren.

Jovem promessa da F1, com 22 anos, Lando Norris terminou no pódio quatro vezes em 2021 e foi o 6° colocado do mundial de pilotos. A melhor posição do britânico em uma corrida foi um 2° lugar, no GP da Itália, o mesmo vencido por seu companheiro.

Alpine

O veterano e bicampeão mundial Fernando Alonso voltará para a 19ª temporada da sua carreira. Depois de dois anos ausente, em 2019 e 2020, Alonso retornou para a Alpine no ano passado, e chegou a ficar em 3º lugar no GP do Catar. O espanhol, que já participou de 336 corridas, pode se tornar nesta temporada o piloto com mais GPs disputados na história da Fórmula 1. Hoje, ele está atrás apenas do finlandês Kimi Räikkönen, com 349.

Também indo para sua segunda temporada com a Alpine, o francês Esteban Ocon teve sua primeira vitória na categoria no ano passado, na Hungria. Antes disso, Ocon já havia terminado em segundo lugar no GP do Bahrein de 2020.

AlphaTauri

A Alpha Tauri é outra escuderia que seguirá com sua dupla de pilotos em 2022. O francês Pierre Gasly disputará sua terceira temporada com a equipe, e tem no currículo a vitória no GP da Itália de 2020.

O japonês Yuki Tsunoda correrá sua segunda temporada na F1. Ele teve em seu ano de estreia a melhor corrida em Abu Dhabi, terminando na 4º posição, mesmo após começar a temporada com alguns problemas e colisões.

Aston Martin

O tetracampeão Sebastian Vettel vai em busca de melhorar seu desempenho correndo pela Aston Martin. Na estreia com a equipe, em 2021, o alemão só conseguiu um pódio, no Azerbaijão, e ficou fora da zona de pontuação em 15 das 22 corridas.

Vettel terá como companheiro de equipe o canadense Lance Stroll, que também ficou longe de boas atuações em 2022, com um 6º lugar como melhor posição. Na carreira, Stroll já terminou três provas na 3ª posição.

Williams

Nicholas Latifi tem 7 pontos na carreira em duas temporadas, e volta para o terceiro ano de Fórmula 1, e o terceiro na Williams.

Com a saída de Russell para a Mercedes, a Williams chamou Alexander Albon de volta para a F1. O tailandês, que ficou de fora em 2021, surgiu em 2019 correndo pela Toro Rosso, e se destacou em 2020 como companheiro de Verstappen na Red Bull, terminando aquela temporada com duas aparições no pódio.

Alfa Romeo

O único estreante de 2022 correrá pela Alfa Romeo. Guanyu Zhou se tornará o primeiro piloto chinês a correr na Fórmula 1. Competindo pela Fórmula 2 entre 2019 e 2021, brigou na parte de cima da tabela no ano passado, terminando o campeonato na terceira posição.

Um dos principais nomes das últimas temporadas, Valtteri Bottas passará a competir pela Alfa Romeo em 2022. O ex-companheiro de Hamilton passou cinco temporadas com a Mercedes e foi duas vezes vice-campeão do mundo. O finlandês acumula dez vitórias na categoria.

Haas

O nome de Kevin Magnussen voltará para o grid em 2022. Após a polêmica por conta da invasão russa na Ucrânia, a Hass optou por retirar o nome de Nikita Mazepin da equipe. Após disputa interna, que contou também com Pietro Fittipaldi, filho do bicampeão de F1 Emerson Fittipaldi, o dinamarquês ficou com a vaga na equipe. Com passagem na Fórmula 1 entre 2014 e 2020, Magnussen tem como melhor resultado da carreira a 2ª colocação em seu GP de estreia, na Áustria, em 2014.

Mick Schumacher segue na equipe depois de estrear em 2021. Na atual temporada, o filho do heptacampeão Michael Schumacher correrá atrás dos seus primeiros pontos na Fórmula 1.

Novidades na parte técnica

A temporada de 2022 marcará também uma mudança considerável na parte técnica e de aerodinâmica dos carros. O objetivo é aumentar as ultrapassagens e promover disputas mais intensas, tornando o espetáculo mais competitivo e atrativo. Os carros de 2022 foram projetados com esse objetivo.

No regulamento anterior, o formato dos carros gerava muita turbulência em alta velocidade, de forma que o piloto que corria atrás perdia parte considerável da pressão aerodinâmica (efeito no qual o formato do carro faz com que o ar empurre o veículo para baixo, aumentando a aderência nas curvas) se comparada com o mesmo efeito no carro que vai a frente. Essa situação prejudicava o competidor de trás na tentativa de ultrapassar.

Veja as principais mudanças para esta temporada:

• Asas sobre rodas (Winglets)

Uma característica marcante do carro de 2022 está nas asas sobre as rodas (winglets), que terão a função de ajudar a controlar o fluxo de ar que sai dos pneus dianteiros e direcioná-lo para longe da asa traseira, próximo do que faz os vórtices da asa dianteira, mas de uma maneira mais aerodinamicamente resiliente.

Pneus maiores

Outra mudança é em relação ao tamanho dos pneus, que passam de 13 para 18 polegadas. Os novos compostos da Pirelli para esses pneus de 18 polegadas foram projetados com o objetivo de reduzir a quantidade de ocorrências de superaquecimento.

• Asa dianteira

O carro de 2022 também apresentará um formato de asa dianteira totalmente novo. O trabalho da nova asa dianteira é gerar downforce (força vertical descendente) consistente ao correr logo atrás de outro carro.

• Asa traseira

A asa traseira também foi remodelada, ganhando pontas arredondas. O objetivo é mudar a forma como o ar interfere no carro que está atrás. Enquanto a asa anterior formava o chamado “ar sujo”, o novo formato deixará o “ar limpo”, prejudicando menos quem está atrás e facilitando disputas. A asa móvel (DRS) se mantém.

• Safety car

Uma mudança importante no regulamento dessa temporada envolve o safety car. A nova recomendação diz que todos os carros que estão com uma volta ou mais de atraso são obrigados a fazer ultrapassagens para ficar na mesma volta que o líder quando o safety car estiver na pista. No regulamento original, o termo “any” (qualquer) foi alterado para “all” (todos).

No ano passado, no Grande Prêmio de Abu Dhabi, cinco pilotos (Lando Norris, Fernando Alonso, Esteban Ocon, Charles Leclerc e Sebastian Vettel) foram autorizados a ultrapassar o líder uma volta. Os três carros restantes (Daniel Ricciardo, Lance Stroll e Mick Schumacher) não foram autorizados pela direção de prova – o que a Mercedes alegou ter sido uma violação da regra que favoreceu o título de Verstappen.

• Pontuação nas corridas sprint

Implementadas pela primeira vez no ano passado, as corridas sprint para definição do grid de largada continuarão em 2022. Os GPs da Emília-Romanha (na Itália), da Áustria e de Interlagos receberão essa forma de classificação, mas agora com mudanças na pontuação.

A partir de 2022, os oito primeiros colocados receberão pontos, sendo 8 pontos para o líder, 7 para o segundo colocado, e assim por diante. Em 2021, apenas os três primeiros colocados pontuavam.

• Saída de Michael Masi

Michael Masi foi substituído como diretor de provas da Fórmula 1, após ter alterado o procedimento do safety car na última corrida da temporada passada de 2021, em Abu Dhabi, tirando os carros retardatários do caminho entre Hamilton e Verstappen.

Pré-temporada de 2022

Com mudanças tão grandes na parte aerodinâmica dos carros, a pré-temporada deste ano chamou a atenção para a forma como as equipes se adaptariam.

Os testes oficiais aconteceram na sede do Grande Prêmio do Bahrein, em Sakhir, justamente onde será a primeira prova da temporada, entre os dias 10 e 12 de março.

A Ferrari foi a equipe que mais se destacou. Carlos Sainz foi o 2° colocado no primeiro dia de treinos e líder no segundo dia, enquanto Charles Leclerc terminou em 3° no primeiro dia, e em 2° no terceiro dia.

A Red Bull, vice-campeã de construtores em 2021 e campeã de pilotos com Verstappen, também apresentou bom desempenho. Verstappen foi o 2° mais rápido no segundo dia de testes e o melhor no terceiro dia.

Calendário de provas

Originalmente, o calendário programado pela Fórmula 1 contaria com 23 provas, a maior quantidade em uma única temporada. Contudo, devido ao conflito entre Rússia e Ucrânia, a F1 optou por romper o contrato com o GP de Sochi. Dessa forma, estão confirmados 22 Grandes Prêmios neste ano.

A temporada se iniciará neste fim de semana, com o GP do Bahrein, em 20 de março, e irá até o dia 20 de novembro, com o GP de Abu Dhabi, no Circuito de Yas Marina. O GP do Brasil, em Interlagos, voltará a ser o penúltimo do ano, disputado em 13 de novembro.

Depois de dois anos fora do calendário por conta da pandemia de Covid-19, os Grandes Prêmios da Austrália, do Canadá, do Japão e de Cingapura voltam a marcar presença no calendário.

As provas em Portugal, Estíria (Áustria) e Turquia, que haviam sido incluídas em 2021 para completar o cronograma, ficam de fora do calendário, assim como o GP do Catar, que só voltará em 2023, após a realização da Copa do Mundo de 2022.

O ano de 2022 contará também com uma pista estreante. Visando popularizar a modalidade nos Estados Unidos, a Fórmula 1 voltará a promover duas corridas em solo norte-americano. Se somará ao Circuito das Américas o GP de Miami, que será a 5ª corrida da temporada, em 8 de maio.

Construído no complexo do Hard Rock Stadium, em Miami Gardens, o circuito é uma pista de rua que contará com 19 curvas, três retas e três zonas de abertura da asa móvel (DRS).

Veja a lista com todos os GPs da temporada 2022:

  • Grande Prêmio do Bahrein (Sakhir) – 20 de março
  • Grande Prêmio da Arábia Saudita (Jeddah) – 27 de março
  • Grande Prêmio da Austrália (Melbourne) – 10 de abril
  • Grande Prêmio Emilia-Romagna (Ímola) – 24 de abril
  • Grande Prêmio de Miami (Miami) – 8 de maio
  • Grande Prêmio da Espanha (Montmeló) – 22 de maio
  • Grande Prêmio de Mônaco (Monte Carlo) – 29 de maio
  • Grande Prêmio do Azerbaijão (Baku) – 12 de junho
  • Grande Prêmio do Canadá (Montreal) – 19 de junho
  • Grande Prêmio da Grã-Bretanha (Silverstone) – 3 de julho
  • Grande Prêmio da Áustria (Spielberg) – 10 de julho
  • Grande Prêmio da França (Paul Ricard) – 24 de julho
  • Grande Prêmio da Hungria (Hungaroring) – 31 de julho
  • Grande Prêmio da Bélgica (Spa-Francorchamps) – 28 de agosto
  • Grande Prêmio da Holanda (Zandvoort) – 4 de setembro
  • Grande Prêmio da Itália (Monza) – 11 de setembro
  • Grande Prêmio de Cingapura (Marina Bay) – 2 de outubro
  • Grande Prêmio do Japão (Suzuka) – 9 de outubro
  • Grande Prêmio dos Estados Unidos (Austin) – 23 de outubro
  • Grande Prêmio do México (Hermanos Rodríguez) – 30 de outubro
  • Grande Prêmio do Brasil (Interlagos) – 13 de novembro
  • Grande Prêmio de Abu Dhabi (Yas Marina) – 20 de novembro

Mais Recentes da CNN